Pesquisar este blog

15 de ago de 2011

Opium EDT e Belle d'Opium - Yves Saint Laurent Avaliação/Review


Belle d'Opium e Opium em sua nova versão exemplificam o triste caminho para qual a Yves Saint Laurent tem ido com o tempo. A grife no passado se destacou pelos seus perfumes marcantes que interpretavam com personalidade tendências clássicas ou criavam novas tendências que se tornariam com o tempo clássicas; hoje, porém, ela se tornou mais um nome apenas numa esteira de produção que recicla idéias e lança frascos chamativos, publicidades caras, mas perfumes pobres e sem personalidade. Belle d'Opium e Opium em sua nova formulação representam duas faces comerciais e industrializadas de um mercado que tenta vender luxo e glamour onde ele não existe. As duas faces exemplificadas por tais lançamentos são: a falsificação de sucessos do passado com reformulações baratas e o lançamento de  perfumes que copiam no limite do plágio os perfumes existentes no mercado.


 Notas do Belle d'Opium: Lírio, sândalo, gardênia, pimenta branca, jasmim, acorde narguile


Olhando para a pirâmide olfativa do Belle d'Opium poderia se esperar, no passado, um oriental marcante de um floral de qualidade, uma sensualidade com traços apimentados e incensados que se destacaria no mercado; entretanto, tem-se a impressão de que a verba para o lançamento foi gasta com a propaganda e com o frasco. A propaganda se mostra provocante de uma forma errada, parecendo mais um editorial de uma revista de moda destarcado pelo sutil ar cafona e pelo excesso de vulgaridade. O frasco, por sua vez, é bonito nos anúncios, e pessoalmente parece dinheiro jogado fora com um produto final de má qualidade. O perfume, por sua vez, é um flanker que não possui nenhuma relação com o Opium, original ou reformulado, e que parece ter sido criado em cima de toda a tendência chypre moderna sem se acrescentar muita coisa nova ou duradoura.

De fato, se há alguma identidade em Belle, ela se mantém nos primeiros minutos da fragrância, que são os essenciais para enganar o consumidor, já que boa parte das pessoas sentem o perfume numa fita olfativa que irá reter esse momento que na pele não irá durar. Belle d'Opium apresenta uma idéia que não foi trabalhada, um incenso adocicado, apimentado, que se desfaz pouco tempo depois de chamar atenção. O que vem logo em seguida é uma base estéril, porém agradável. Uma cópia do acorde patchouli açúcarado e almiscarado que tem se tornanado cada vez mais genérico a cada lançamento. Belle d'Opium se mantém linear nesse aroma amadeirado, doce, canforado e cremoso, de uma forma sedada. As flores eventualmente aparecem, de uma forma barata, com um lado fecal que é disfarçado mas que eventualmente aparece quando a intensidade açúcarada e amadeirada se desfaz, mostrando o lado mais desagradável do perfume quando o consumidor provavelmente já o comprou pela sua agradável aparência genérica.


Notas do Opium: bergamota, jasmim, mandarina e mirra

Opium exemplifica que a banalidade não tem se mantido somente nas criações novas, atingindo de forma mais crítica os clássicos do passado. A necessidade de adequar alguns elementos (que passaram a ser considerados causadores de alergias) levou a uma reformulação onde frasco e cheiro parecem uma falsificação feita para enganar quem gosta do clássico aroma picante, denso, incensado, amadeirado, um dos maiores orientais da perfumaria comercial. Opium em sua nova versão tem um frasco feio, plástico, opaco, sem vida, vergonhoso de ser ostendado. O perfume é tão ruim quanto o que o mantém; a nova versão remove tantos elementos do tradicional que só mantém o mínimo para que o novo seja similar com o antigo. Opium agora se comporta na pele como um aroma incensado de qualidade duvidosa, com pouco da canela que era parte marcante do original, misturando a ela um bouquet simplificado e barateado de aroma floral e cítrico amargo. A distância, até convence, como a maioria das falsificações; entretanto, quando se analisa minuciosamente sua evolução percebe-se que foram removidos o aroma abaunilhado, as madeiras, a base resinosa e atalcada, a impressão de frutas secas das notas cítricas. O que se venda agora é um quinto da qualidade anterior pelo mesmo preço, uma falsificação artística feito pela própria marca, e que tem a pretensão e a desonestidade de manter o mesmo nome e idéia vendendo algo linear e de péssima qualidade.

16 comentários:

Mônica Lethos disse...

Rick,
Ótimas resenhas! É lamentável ver a própria marca se sabotando... Eu estava até curiosa com o Belle d'Opium mas acabo de desistir, esse lado fecal da fragrância foi a gota d'água, pois minha pele tende a enfatizar ainda mais essa nuance indólica do jasmim.

Quanto ao Opium, lamento muito essa triste reformulação, sua versão antiga é originalíssima, e também comungo com você a opinião de que é um dos maiores orientais da perfumaria comercial. Me bateu uma saudade do Opium "das antigas"... que quando usado em doses homeopáticas e no clima e temperatura corretas fica divino!

Bjs!

Rick disse...

Olá Mônica!
Eu diria que a sabotagem em parte é culpa da direção artística da marca e de quem é dono da licensa no segmento de perfumaria e cosméticos, nesse caso a Loreal. A Loreal é conhecida na indústria por ser econômica nas fórmulas dos perfumes, e isso se pode ver exatamente com o Belle d'Opium. Um jasmim de mais qualidade até possue o lado indólico, porém mais balanceado e agradável, o que não acontece aqui. Se vc sente com evidência ele, pode realmente não gostar nada do Belle.

Concordo com vc quanto ao Opium, sabendo dosar é um perfume marcante, complexo e de personalidade. Realmente fica divino, chama atenção para pessoa da forma certa.

Minha recomendação é que se vc gosta dele, compre enquanto ainda se acha um pouco do antigo. A tendência é que ele suma nos próximos anos, elevando o preço do que aparecer eventualmente no mercado.

Bjos!

Dâmaris - Village Beauté disse...

Após ler esta resenha fiquei triste...imaginava poder conhecer um dia B.O. e ser surpreendida. Lamentável mesmo, Rick.
bjos

Paulo Italo disse...

Caraca, Rick! Estava pensando em dar o Belle D'Opium para minha mãe (ela gostou da publicidade). Mas depois dessa resenha irei sugerir outro para ela.

Abrçs!

Mônica Lethos disse...

Oiiii, Rick!

Então a "sabotagem" atende pelo nome de Loreal? Lamentável ver o que uma direção artística equivocada pode fazer com uma marca que primava por criações tão originais e surpreendentes como o Opium, o Nu, o Cinema, e dê vazão a criações previsíveis, comerciais, sem nenhuma inovação e super "lugar-comum" como o Parisienne (que eu achei com um cheiro de perfume barato). Isso sem falar nessas reformulações que só servem para descaracterizar e tirar a identidade das fragrâncias originais. Tristeza...

Quanto a sua recomendação, vou seguí-la! Há uns meses que me pego saudosa do seu aroma que é personalíssimo! Vou tratar de garantir um para depois não me arrepender e ter que pagar uma fortuna por um vidrinho, como é o caso do NU EDP que conheci um pouco tarde (já estava descontinuado) e para mim é um dos grandes aromas da perfumaria comercial, eu adoro esse perfume e lamento muito ele ter saído de linha.

Bjs!

Rick disse...

Dâmaris, infelizmente a YSL não é mais a mesma por enquanto, as surpresas tem sido todas ruins nos lançamentos :(

Rick disse...

Paulo, eu recomendo ir direto na fonte da qual Belle copia: Chanel Coco Mademoiselle. Acho que a sua mãe pode gostar bastante dele! Recomendo também o Narciso Rodriguez Her como uma outra ótima opção de presente.
Abraços!

Rick disse...

Mônica, até hoje lamento a descontinuação do Nu EDP. Como comentei na minha avaliação dele, não há outro incenso que nem ele no mercado. Um que possue alguns elementos em comum e que é muito bom é o Carmel Boheme da EnVoyage Perfumes. É tão bom quanto, porém o acho um pouco mais harmônico e mais fácil de usar.
Caso você queira conhecer, a marca vende amostras no próprio site e envia para o Brasil:
http://www.envoyageperfumes.com/store/Carmel-Boheme-Collection/?sort_direction=1

Abraços!

Mônica Lethos disse...

É verdade, Rick, que incenso maravilhoso o de NU! Nossa, que dica preciosa essa do Carmel Boheme da EnVoyage Perfumes, fiquei curiosíssima com ele, se é tão bom quanto e ainda mais harmônico e versátil deve ser muito bom, acho que fará bem o meu estilo e talvez mais adaptável às temperaturas do RJ. Muito obrigada pela dica! Só você mesmo para nos indicar esses tesouros!

Bjs!

andré disse...

Sobre esse Opium do frasco azul, concordo contigo, Rick. Perfume muito ruim mesmo. Simplesmente não lembra nada de qualquer Opium. Agora com relação à reformulação do feminino, sabe que gostei? Sei que mudaram tudo, mas achei que o original feminino (que sempre considerei forte demais, mais forte inclusive que o Opium masculino) ficará mesmo pros/as corajosos/as. Esta nova versão feminina ficou mais doce, lembrou-me algo do mel. Mas acho sua opinião sensata, que lançassem então novos perfumes e mantivessem os antigos pra quem gosta.

Rick disse...

André, eu acho que o original é um pouco mais questão de costume, apesar de não ser fácil mesmo encará-lo, especialmente se o tempo estiver quente. Eu entendo que era necessário reformulá-lo para adequar as restrições, mas o que me entristeceu foi ver que não fizeram direito, pois falta base nesse perfume. Ele não evolui, é o tipo de adaptação que vocÊ faria para produzir um contratipo mais barato e que se adequasse o máximo possível ao original com um preço mais em conta na formula. Só que ele é vendido caro, isso não é uma versão mais acessível para quem não tem dinheiro.

Debiasi disse...

CARALHO SÓ PORQUE EU COMPREI ONTEM, MERDA

edna disse...

Esse opium de frasco marrom com o pavio não é EDT e sim EDP e foi lançado em 2009. O original hoje tem o frasco igual mas sem o pavio. Possui as mesmas notas do antigo mas creio que já com alguma reformulação. Tenham cuidado pra não confundir pois esse da foto é outro perfume com pouquíssimas notas e portanto diferente do seu antecessor

Unknown disse...

eu adoro o Opium edt tradicional feminino, já usei o do frasco antigo e o que foi relançado em 2009... já havia diferença, mas o de 2009 ainda era bem forte. Agora decidi comprar o atual, que decepção... até achei que meu perfume era falso, mas não é, ele foi reformulado e perdeu mesmo a presença de antes, o cheiro mudou, está horrível... que pena, a perfumaria clássica está morrendo :(

Anapaula Vifreitasmachado disse...

Ganhei um opium em 1999 vindo direto de Paris,foi meu primeiro perfume juntamente com o first.Amava mesmo achando muuito forte e marcante.Tenho saudades daquele cheirinho.Está semana comprei o belle opium baseado em resenhas positivas sobre ele...apenas dei uma borrifada no braço e sinceramente a princípio gostei muito.Não sou expert em perfumes,mas tudo é uma questão de olfato.Não me arrependo de forma alguma,pretendo em breve adquirir o opium.E parabéns pelas resenhas...são excelentes!!

Unknown disse...

fiquei até sem graça de opinar dentro da expressão poética e técnica do Rick. Mas eu me apaixonei tanto pelo Belle d'opium que resolvi opinar mesmo anos depois rsrsrs
acreditem que só descobri que ele foi descontinuado essa semana quando vi que meu estava acabando e comecei a procurar nos sites do usa para comprar ...fiquei chocada. Mais chocada ainda quando procurando por ele vi tantas opiniões negativas vindo dos experts.
O fato é que não sou especialista, apenas amante e ele era um dos meus prediletos. Marcante, envolvente e elegante, era assim que me fazia sentir qdo eu passava ... e por onde passava não tinha uma vez que não conseguia um elogio.
Uma triste notícia pra mim ... vai ficar na memória como um dos melhores que já me perfumou

Postar um comentário

Comentários com relação a postagem? Escreva aqui
Comments related to the post? Write them here