Pesquisar este blog

10 de set de 2017

Memo African Leather - Fragrance Review



Português (click for english version):

Sinceramente, essa coleção de couro e viagens da Memo tem se revelado uma grande decepção. Vejo conceitos utilizados meramente como pretexto para perfumes medianos. Aparentemente o que eles desejavam a Louis Vuitton conseguiu atingir de forma melhor em sua coleção exclusiva, que é utilizar o aroma de couro como pano de fundo para algo inspirado em viagens. No caso da Memo, por hora as viagens tem se mostrado mais viagem na maionese do que qualquer outra coisa.
A princípio, African Leather até parece ter algum elo mais forte com aroma de couro do que French Leather e Russian Leather, mas essa impressão não se confirma na evolução. Outra coisa que eu não sei é o que esse perfume tem a ver com África ou com a paisagem de Savana da publicidade. Na minha percepção, nada a ver.
Para minha surpresa, na pele African Leather se revela como um perfume de patchouli, rosa e ambar basicamente, algo bem parecido com o descontinuado Midnight Poison da Dior. Na saída é que há diferença, com mais especiarias que variam entre o aroma mais fresco do cardamomo ao mais animálico do cominho, que é utilizado de forma bem light aqui. De forma geral, é outro perfume razoável casado com um conceito nonsense em uma coleção cara e com ares de exclusividade.

English:
Sincerely, this collection of leather and travel from Memo has been a great disappointment. I see concepts used merely as a pretext for mediocre perfumes. Apparently what they wanted was what Louis Vuitton managed to achieve better in their exclusive collection, which is to use the leather scent as background for something inspired by travel. In the case of Memo, for the time being travel has been shown more journey in to the world of nonsense than anything else.
At first, African Leather even seems to have a stronger link with leather scent than French Leather and Russian Leather, but this impression is not confirmed in evolution. Another thing I do not know is what this perfume has to do with Africa or with Savannah landscape in the advertising . In my opinion: nothing.
To my surprise, African Leather reveals itself as a scent of patchouli, rose and amber basically, something very similar to the discontinued Dior Midnight Poison. In the opening is that there is the difference, with more spices ranging from the freshest aroma of cardamom to the more animalic of cumin, which is used very lightly here. Generally speaking, it is another average perfume married to a nonsense concept in an expensive collection with airs of exclusivity.