Pesquisar este blog

8 de out de 2017

4160 Tuesdays - The Lion Cupboard

Português (click for english version):

Na sua essência, a marca de Sarah McCartney representa bem a perfumaria de nicho da década de 80 e 90, uma marca mais experimental que possui desde perfumes simples, modernos e agradáveis a até chypres a moda antiga que agradam um público bem específico. Sarah parece estar preocupada em usar as essências e suas habilidades para contar histórias e isso inclui qualquer história que atraia sua atenção e curiosidade.

The Lion's Cupboard é um dos perfumes do início da marca, de quando ela surgiu após Sarah escrever um livro onde os perfumes tinha um papel crucial na história dos personagens e de então resolver colocar em prática isso. E em Lion's Cupboard ela volta para uma memória sua e de sua irmã, uma representação de um armário onde seu pai guardava suas luvas, lenços e chapéus. É a memória dos aromas de um ente querido, um aroma familiar e aconchegante. Ao mesmo tempo, a perfumista tem a habilidade de tornar essa memória uma experiência mais universal e compartilhável.

Acho interessante o que Lion's Cupboard oferece, uma mescla de nostalgia e modernindade, uma junção do mundo da perfumaria natural com a perfumaria sintética. A saída dele me faz pensar em algo bem inglês, uma mescla de lavanda aromática, quase medicinal e ervas aromáticas/cítricos com alguma coisa que me remete a um quê ambarado. Seria um aroma mais maduro e com ares de perfumaria natural se o que viesse depois não fosse uma interessante mescla amadeirada, que em alguns momentos me faz pensar em oud, em outros em cedro e em outros em sândalo. Perdido entre as madeiras encontra-se também um excelente aroma de tabaco, mais seco que em seu perfume the Dark Heart of Old Havana.


O mais interessante disso tudo é que a mescla de aromas amadeirados e cologne clássica forma perfeitamente a visão do armário e do aroma retido nos objetos. Ainda sim, não parece que vc está diante de um conceito que existe meramente para ser cheirado e entendido, mas sim de um perfume completo, bem equilibrado, um excelente aroma amadeirado de qualidade. Uma história muito bem contada.

English:

In essence, Sarah McCartney's brand represents what niche perfumes where in the 1980s and 1990s, a more experimental brand that ranges from simple, modern and pleasing perfumes to chypres to old-fashioned fashion that appeals to a very specific audience. Sarah seems to be preoccupied with using essences with her storytelling skills and this includes any story that draws her attention and curiosity.

The Lion's Cupboard is one of the early scents of the brand, from when it came about after Sarah wrote a book where perfumes played a crucial role in the story of the characters and then set about putting that it into practice. And in Lion's Cupboard she goes back to a memory of her and her sister, a representation of a closet where their father kept his gloves, scarves and hats. It is the memory of the scents of a loved one, a familiar and cozy aroma. At the same time, the perfumer has the ability to make this memory a more universal and shareable experience.

I find interesting what Lion's Cupboard offers, a blend of nostalgia and modernity, a junction of the world of natural perfumery with synthetic perfumery. Its opening makes me think of something very English, a blend of aromatic lavender, almost medicinal, and aromatic herbs / citrus with something that brings me back to something of an amber aroma. It would be a more mature aroma and air of natural perfumery if what came later wasn't an interesting woody mixture, which at times makes me think of oud, others in cedar and others in sandalwood. Lost among the woods is also an excellent aroma of tobacco, drier than the one in the Dark Heart of Old Havana.


Most interesting of all is that the blend of woody aromas and classic cologne perfectly shapes the impression of the cabinet and the aroma retained in the objects sinde it. Still, it does not seem that you are faced with a concept that exists merely to be smelled and understood, but rather a complete, well-balanced perfume, an excellent woody aroma of quality. A story very well told.