Pesquisar este blog

15 de out de 2017

Boadicea The Victorious Complex - Fragrance Review


Português (click for english version):

A Boadicea é um case interessante para análise na perfumaria de nicho, já que ela evidencia que é possível criar rapidamente um catálogo de criações sem muita tradição na perfumaria. Criada por Michael Boadi, a marca já estreiou com 33 criações posicionadas como exclusivas e 10 posicionadas como ready-to-wear. O número de lançamentos certamente levanta suspeitas quanto a qualidade, entretanto o que a Boadicea representa é similar ao que muitas outras marcas são no segmento: uma interface onde o que realmente faz diferença é o talento criativo da casa de fragrâncias por trás. O resto resume-se a conceitos de marketing e publicidade plugados em cima disso.

E nesse quesito posso dizer que por hora os perfumes que eu conheci da marca são de boa qualidade. Falta ousadia nas criações certamente, entretanto percebe-se uma boa formulação e um bom uso de materiais canalizando auras muitas vezes clássicas. É o caso de complex, um dos lançamentos da primeira leva de 2008 da marca.


Na minha opinião, complex é um caso do que poderia se chamar de simplexidade na perfumaria, uma aura relativamente simples do ponto de vista do que predomina e que se torna complexa devido as nuances desses poucos materiais. Basicamente, o perfume é um aroma de couro que transita entre o moderno e o tradicional. A parte tradicional é reforçada pelas resinas, das quais a mirra se destaca, dando uma aura mineral, quente e levemente frutada seca ao aroma de couro. Curiosamente, a orquestração das resinas com mais algum material produz uma textura que me faz pensar em um couro musgoso. A marca cria todo um conceito em cima disso no site, mas uma das coisas que eles mencionam pode ser atrelado de fato a complex: esse perfume é resultado de experiência de perfumaria, um conhecimento aprendido, transmitido e que se torna novo em novas interfaces conceituais.

English:

Boadicea is an interesting case for analysis in niche perfumery, since it shows that it is possible to quickly create a catalog of creations without much tradition in the perfumery. Created by Michael Boadi, the brand has already debuted with 33 creations positioned as exclusive and 10 positioned as ready-to-wear. The number of releases certainly raises suspicions about quality, however what Boadicea represents is similar to what many other brands are in the segment: an interface where what really makes a difference is the creative talent of the perfumer house behind. The rest boils down to marketing and advertising concepts plugged into it.

And in this regard I can say that considering the perfumes I have tried from them that the brand has a good quality. There is no daring in creations, however, but a good formulation and good use of materials can be seen channeling auras that are often classic. This is the case of complex, one of the first launches of the brand's 2008 campaign.

In my opinion, complex is a case of what could be called simplexity in perfumery, a relatively simple aura from the point of view of what prevails and which becomes complex due to the nuances of these few materials. Basically, the perfume is a leathery aroma that transits between the modern and the traditional. The traditional part is reinforced by the resins, of which myrrh stands out, giving a mineral aura, warm and lightly fruity dry to the aroma of leather. Interestingly, the orchestration of resins with some other material produces a texture that makes me think of a mossy leather. The brand creates a whole concept on top of that on the site, but one of the things they mention which can actually be linked to complex us: this perfume is the result of perfumery experience, a knowledge learned, transmitted and that becomes new in renovated conceptual interfaces.