Pesquisar este blog

1 de out de 2017

Clive Christian Noble VII Cosmos Flower


Português (click for english version):

Para mim a casa Clive Christian é um excelente estudo de caso de que não basta apenas preço e imagem para que se produza uma aura de luxo e exclusividade. Não consigo entender os motivos, porém o estilo criativo da casa por mais que tente sempre vai parar na perfumaria comercial e desaponta de uma forma ou de outra por vender o que não consegue entregar.

Cosmos Flower faz parte de uma dupla de perfumes lançadas em 2016 com o nome de Noble VII. A parte feminina da dupla, a marca promete seu primeiro gourmand combinando notas adocicadas de chocolate com a sensualidade dos aroma florais. O objetivo, pelo que parece, é enfatizar a nuance de chocolate da flor que dá nome ao perfume. Porém, mais uma vez a marca decepciona e não entrega algo que não tem nem cheiro de chocolate e que também não é gourmand.

O estilo de composição aqui tende mais para um floral com nuances frutadas e especiadas frescas e a forma como o acorde floral e frutado é construído me faz pensar em algo que a Natura executaria caso fosse fazer algo mais exclusivo. Na fita olfativa Cosmos Flower beira o aroma de shampoo frutado, na pele felizmente o aspecto frutado não fica tão evidente, mostrando porém uma certa acidez e aspecto químico na saída. Quando evolui Cosmos Flower fica mais elegante, evidenciando um aroma de jasmim e ylang que se não é nada de novo também não desagrada. Na base, o que se destaca mesmo é o aroma prometido de ambar seco, um ambar amadeirado que não dá muito espaço para o benjoin, caramelo ou o chocolate amargo aparecer.

Para um gourmand, cosmos flower é um bom floral e para um perfume exclusivo ele é uma boa criação comercial. Nem como um extrato convence, com uma evolução mais típica de um edp. É uma pena que o conceito e o belo frasco negro sejam desperdiçados assim.

English:

For me the Clive Christian fragrance house is an excellent case study that price and image aren't enough to produce an aura of luxury and exclusivity. I can not understand why, but the creative style of the house no matter how hard it tries is always heads toward the commercial perfumery and disappoint in one way or another by selling what it can not deliver.

Cosmos Flower is part of a pair of perfumes launched in 2016 under the name of Noble VII. The feminine part of the pair, the brand promises its first gourmand combining sweet notes of chocolate with the sensuality of the floral scents. The purpose, it seems, is to emphasize the chocolate nuance of the flower thats gives the perfume its name. However, once again the brand disappoints and does not deliver something that does not even smell of chocolate and which is not gourmand either.

The style of composition here tends more towards a floral with fresh fruity and spicy nuances and the way the floral and fruity accord is built makes me think of something that the brazillian mainstream brand Natura would do if it were to do something more exclusive. In the mouillete Cosmos Flower borders dangerously the fragrance of fruity shampoo, on the skin fortunately the fruity aspect is not so evident, however showing a certain acidity and chemical aspect in the opening. When it evolves it becomes more elegant, evidencing an aroma of jasmine and ylang that if it is not nothing new also does not displease. At the base, what stands out even is the promised aroma of dry amber, a woody amber that does not give much room for the benjoin, caramel or bitter chocolate to appear.

For a gourmand, cosmos flower is a good floral and for a niche perfume it is a good commercial creation. It doesn't convince even as an extrait, with a more typical evolution of an edp. It's a shame that the concept and the beautiful black bottle are wasted like this.