Pesquisar este blog

15 de out de 2017

Lancome L'Autre Oud - Fragrance Review



Há algo na forma como a Lancôme descreve sua primeira incursão na perfumaria árabe que me intriga. A começar pelo nome, que traduzindo significa o Outro Oud mas que que se for trocado por un viraria Mais Um Oud também. A forma como a marca descreve me parece ter uma pitada de ironia e acidez também, ao dizer que a Lancôme desafia as leis da perfumaria recriando a nota sem sequer utilizar o ingrediente, sendo isso possível pela combinação do Cypriol, Bálsamo Gurjum e Cistus Absolute.

Ironia ou honestidade na forma de luxo, L'Autre Ôud é o que diz ser, um perfume de joga as regras desse mercado e que já deixa claro em sua identidade que entrega o que as pessoas esperam de uma criação de Oud. A ideia aqui é oscilar entre Oud e Rosa com uma pitada de açafrão, mas pessoalmente eu diria que quem é a estrela da composição é de fato o Oud, com a rosa sendo mais uma forma de tornar mais delicado e redondo as resinas utilizadas.

O aroma do acorde proposto não tem grandes novidades, mas agrada por focar mais nos aspectos naturais das resinas que entram em sua composição sem utilizar, pelo menos de forma proeminente, as bases mais ambaradas e doces para propor o aroma do oud. Estamos em um território onde notas amadeiradas secas, toques animálicos e herbais e um aroma ambarado seco são balanceados para criar a ilusão proposta, completa com o toque sedoso, licoroso e levemente frutado das rosas e do açafrão. É um perfume sem grandes surpresas, com uma boa evolução e razoavelmente honesto em seu conceito como um todo, o que de certa forma é uma raridade.


There is something in the way Lancôme describes their first foray into the Arab perfumery that intrigues me. Starting with the name, which translating means the Other Oud but that if it you change the L for Un would turn it Another Oud. The way the brand describes me seems to have a hint of irony and acidity too, saying that Lancôme defies the laws of perfumery by recreating the note without even using the ingredient, this being possible by combining the Cypriol, Gurjum Balm and Cistus Absolute.

Irony or honesty in the form of luxury, L'Autre Ôud is what it claims to be, a scent that plays the rules of this market and which makes it clear in its identity that it delivers what people expect from an Oud creation. The idea here is to oscillate between Oud and Rose with a pinch of saffron, but personally I would say that the star of the composition is in fact the Oud, with the rose being more a way to make the resins used more delicate and round.

The aroma of the proposed accord has no great novelties, but it pleases to focus more on the natural aspects of the resins that enter its composition without using, at least in a prominent way, the more amber and sweet bases to propose the oud aroma. We are in a territory where dry woody notes, animalic and herbal touches and a dry amber aroma are balanced to create the oud illusion, complete with the silky, boozy and lightly fruity touch of roses and saffron. It is a perfume without great surprises, with a good evolution and reasonably honest in its concept as a whole, which in a way is a rarity.