Pesquisar este blog

15 de out de 2017

Maison Francis Kurkdjian Oud Cashmere Mood - Fragrance Review



Português (click for english version):

Ah, as grifes e suas ironias/equívocos quando nomeiam um perfume! Muitas vezes acho engraçado o quanto os conceitos e nomes simplesmente não casam com a execução e me pergunto se as pessoas envolvidas no projeto não estão tão viciadas no mesmo que não são capazes de enxergar isso.

Nem sempre esses equívocos significam um fracasso no perfume em si e Oud Cashmere é um exemplo disso. Baseado no tradicional e pelo nome, esperaria-se uma versão aveludada e fácil de usar correto? A própria marca o descreve como a delicadeza de uma segunda pele, suave e perfumada.

Bem, certamente se você viver na Sibéria (muito frio) ou for parte do público árabe que já está acostumado com criações de oud pode até achar isso. O resto terá uma bela surpresa ao provar Cashmere Mood na pele. O perfume abre com uma cacetada de Oud que reproduz da forma mais fidedigna o possível as facetas das qualidades mais caras de oud. É um aroma fechado, animálico,beirando o fecal, acompanhado por um aroma denso de ambar que lembra mel não adocicado. Se comparado com boa parte das interpretações de oud que povoam o mercado, é de assustar muitas pessoas, mas é um belo oud. Depois que passa a fase intensa, o perfume até vai em uma direção aveludada de fato, porém uma que mantém o aspecto seco e animálico do oud até o fim e o estende em uma direção almiscarada. É o tipo de perfume que não deve ser comprado no escuro pois nome e conceito enganam, porém a entrega é muito boa se você curtir o lado mais hardcore do oud.

English:

Oh, the brands and their ironies / misconceptions when they name a perfume! I often find it funny how concepts and names simply do not match the execution and wonder if the people involved in the project are not so biased to it that they can not see it.

These misconceptions do not always mean a failure in the perfume itself and Oud Cashmere is an example of this. Based on the traditional MFK Oud and the name, one would one expect a velvety and easy to use version, right? The brand itself describes it as the delicacy of a second skin, smooth and fragrant.

Well, surely if you live in Siberia (too cold) or are part of the Arab public who is already accustomed to oud creations you might even find this. The rest will have a nice surprise when trying Cashmere Mood on the skin. The perfume opens with an Oud punch that reproduces as accurately as possible the facets of the most expensive oud qualities. It is a muffled, animalic aroma, bordering the fecal, accompanied by a dense amber aroma that resembles unsweetened honey. Compared with most of the oud interpretations that populate the market, it might scare many people, but it is a beautiful oud. After the intense phase passes, the perfume even goes in a velvety de facto direction, but one that maintains the dry and animic aspect of the oud to the end and extends it in a musky direction. It is the type of perfume that should not be bought in the dark because name and concept mislead you, but the delivery is very good if you enjoy the hardcore side of the oud.