Pesquisar este blog

8 de out de 2017

Yves Rocher Accord Chic - Fragrance Review


Português (click for english version):

Eu diria que uma das perguntas mais difíceis que eu tenho que responder relacionado a perfumaria é quando me perguntam quais são meus perfumes favoritos. Confesso que por dentro entro em pânico, pois sinto que as expectativas são altas e é uma tarefa árdua para mim limitar toda a minha jornada de descobertas de vários perfumes fascinantes a uma lista compacta. Ainda sim, algumas criações marcaram a minha jornada e uma delas que é inesquecível e muito querida é o fantástico Nu EDP da Yves Saint Laurent. Nu está para mim entre uma das quintessências do incenso: sensual, misterioso, entre o espiritual e o voluptuoso. É um dos pontos fortes da direção artística de Tom Ford na perfumaria da Yves Saint Laurent e que junto com outro favorito meu, M7, me fez respeitar o estilista.

Infelizmente, o Nu EDP foi descontinuado da sua versão original e hoje existe na versão La Collection, que chega bem próximo dele porém de uma forma mais floral. Para a minha surpresa, porém, a francesa Yves Rocher o reincarnou em uma nova roupagem e conceito. Com o trabalho dos perfumistas Oliver Cresp e da excelente Marie Salamagne surge Accord Chic, que se propõe a oferecer um floral oriental spicy que exala qualidades de elegância, audacidade e distinção.

Esses são adjetivos que certamente cabem muito bem tanto em Nu EDP como em Accord Chic e é interessante perceber o como uma determinada forma olfativa pode surgir em outro contexto, bem legível mas com outra interpretação. A combinação de incenso, pimenta, resinas e musks formas a aura de elegância e audácia que Accord Chic propõe, equilibradas por um acorde floral não óbvio que se mistura muito bem ao aroma misterioro de incenso e resinas. Se você considerá-lo no contexto da perfumaria comercial feminina, é realmente algo ousado e arriscado, ainda mais em um mercado que puxa sempre a mulher para criações onde flores, frutas e tons gourmands são levados a explorar os clichês de como uma mulher deve cheirar hoje.


Classificar Accord Chic como feminino, porém, é um equívoco da mesma forma que classificar NU também foi. A aura é perfeitamente uma de nicho, uma construção que simplesmente não possui gênero, idade ou mesmo identidade. Isso se encaixa com o conceito do que seria ser chique, já que a essência/acorde da elegância não pertence a um gênero em específico. Para os que nunca conheceram Nu mas possuem curiosidade em seu aroma, recomendo fortemente conhecer a criação de Yves Rocher.

English:

I would say that one of the most difficult questions I have to answer regarding perfumery is when I am asked which are my favorite perfumes. I confess that inside I panic because I feel that expectations are high and it is an arduous task for me to limit my whole journey of discovering several fascinating perfumes to a compact list. Still, some creations have marked my journey and one of them that is unforgettable and very dear is the fantastic Nu EDP from Yves Saint Laurent. Nu lies to me among one of the quintessences of incense: sensual, mysterious, between the spiritual and the voluptuous. It is one of the strengths of Tom Ford's artistic direction in Yves Saint Laurent's perfumery and along with another favorite of mine, M7, made me respect the stylist.

Unfortunately, the Nu EDP has been discontinued from its original version and now exists in the La Collection version, which comes very close to it but in a more floral way. To my surprise, however, the french house Yves Rocher reincarnated it in a new outfit and concept. With the work of the perfumers Oliver Cresp and the excellent Marie Salamagne comes Accord Chic, which proposes to offer a spicy oriental floral that exudes qualities of elegance, audacity and distinction.

These are adjectives that certainly fit very well both in Nu EDP and Chic Accord and it is interesting to note how a certain olfactory form may arise in another context, well readable but with another interpretation. The combination of incense, pepper, resins and musks forms the aura of elegance and boldness that Accord Chic proposes, balanced by an unobtrusive floral chord that blends nicely with the scent of incense and resins. If you consider it in the context of feminine commercial perfumery, it's really something daring and risky, even more so in a market that always pulls the woman to creations where flowers, fruit and gourmands tones are driven to explore the cliches of how a woman should smell today.


Classifying Accord Chic as feminine, however, is a misnomer in the same way that classifying NU was as well. The aura is perfectly one of a niche perfume, a construction that simply does not have gender, age or even identity. This fits in with the concept of what it would be to be fancy, since the essence / accord of elegance does not belong to a particular genre. For those who have never met Nu but have curiosity in their aroma, I strongly recommend trying the creation of Yves Rocher.