Pesquisar este blog

21 de jan de 2018

4160 Tuesdays Dirty Honey - Resenha/Review

Uma das coisas que eu acho muito interessante é que quando pensamos em aromas animálicos raramente o mel vem a cabeça mesmo que seja um produto de origem animal (e um inclusive que pode ser obtido sem crueldade). Seja natural ou sintético, o mel como conceito oferece uma gama rica de possibilidades: temos o mel floral (que para alguns pode remeter a xixi de gato devido a um aromaquímico presente em ambos), o mel adocicado e açúcarado e o mel do ponto de vista da cêra de abelha, podendo esse ser um adocicado mais gentil e ambarado ou algo meio animálico também. E certamente é uma essência ou nota que tem um apelo de atração o suficiente para fazer parte de uma coleção intitulada Crimes of Passion e que tem o objetivo de retratar perfumes tão sedutores que você seguiria quem os estivesse usando.
A descrição de Dirty Honey diz que seu cheiro é o da Choisya Ternata, conhecida em inglês como Mexican Mock Orange Blossom pela sua similariedade em cheiro com o da flor de laranjeira. E ainda que eu consiga ver a nuance de mel na flor de laranjeira, sem conhecer o aroma da Choisya Ternata essa referência me escapa e Dirty Honey parece uma espécie de soliambar do ponto de vista do mel. É um perfume que exalta o aspecto de própolis presente no aroma do labdanum e o combina com o cheiro ceroso e adocicado da cêra de abelha e com um fundo adocicado de baunilha. O aroma floral acaba exalando de dentro dele, como se de certa forma o arbusto estivesse envolvido por uma grande colméia que o cerca. É um perfume bem interessante, um pouco linear talvez e que me parece uma excelente base para soliflores de laranjeira.O Dirty aqui nesse caso se refere ao especto mais carnal e não açúcarado do mel como um todo.