Pesquisar este blog

21 de jan de 2018

L'Atelier de Givenchy Chypre Caresse - Resenha/Review


Ao que parece, a simplicidade na apresentação das notas é algo recorrente na temática da linha exclusiva de perfumaria da Givenchy. Em alguns casos ela é levada ao pé da letra na execução, como é o caso de Ylang Austral, de forma que você espera mais e o perfume simplesmente não oferece. Em outros, como em Chypre Caresse, ela se mostra como apenas um guia que esconde os detalhes da composição sem lhe roubar a elegância.
O que favorece aqui é que não estamos diante da camisa de força da matéria-prima como foco principal da composição. Chypre Caresse mira em um conceito mais abstrato e assim tem liberdade para se desenvolver. O objetivo aqui é a criação de um chypre romântico, efêmero, delicado ao toque, fluído como um tule. E é interessante como a ideia faz uma ponta entre o passado e o presente dos Chypres.
Chypre Caresse não é nem um chypre moderno nem um chypre clássico, é uma junção dos dois. A fragrância se utiliza da luminosidade floral dos chypres modernos e do aroma sedoso de musk deles e interpreta isso com uma dose generosa e suculenta de cítricos que junto com o patchouli te fazem pensar nos chypres cítricos do passado. O que falta talvez é a terrosidade e um toque de musgo, porém a ideia aqui é justamente a de fazer um chypre suculente, leve, delicado e elegante e quando você olha design e execução tudo se encaixa. Chypre Caresse pode até ser voltado para o público feminino, porém a ênfase nos cítricos o torna bem compartilhável. Um dos pontos altos da coleção.