Pesquisar este blog

4 de mar de 2018

Amouage Opus III - Second Fragrance Review

É interessante como as percepções dos perfumes mudam conforme a gente muda com o tempo. É uma pena que eu não consiga voltar em todos os perfumes que eu já avaliei, mas o Opus II é um que eu fazia questão de revisitar pois quando o avaliei eu me decepcionei bastante com o seu cheiro. Mas eu escrevi a muito tempo atrás sobre ele, quando tinha 22 anos e era bem mais idealista e acreditava que um perfume de nicho deveria ser algo exuberante e que boa parte do investimento deveria ir para a fórmula sem entender como um negócio de perfumaria funciona de fato.
Pois bem, muitos anos depois e analisando Opus II com outros olhos vejo seu valor e suas intenções. O perfume se encaixa muito bem na trilogia das primeiras composições, que homenageavam clássicos do passado. Mas mais que isso, Opus II representa o início das intenções da marca de expandir seu mercado e público-alvo para muito além da perfumaria tipicamente árabe.
Assim, essa é uma criação que tenta fundir os dois mundos, o árabe e o ocidental, o exótico e o moderno, o acessível e o luxuoso. E dependendo do que você sentir nela é que poderá ver o valor. Hoje acho curiosa a combinação: a saída fougere herbal é ousada sem ser agressiva, uma combinação de lavanda e absinto e algo que remete a folha de louro. Misturada a ela temos um contraste de pimentas, uma pimenta mais seca e um cardamomo que dá um frescor mentolado especiado típico da nota. Conforme Opus II evolui ele se encaminha para uma base amadeirada ambarada. E o que mais me impressiona é que todos esses anos embaixo do meu nariz esteve encaixado um acorde de agarwood que eu nunca tinha notado. É uma combinação inusitada, um fougere oud, e a facilidade de uso talvez mascare justamente seu trunfo. Eu diria que Opus II é um perfume de entrada no universo da Amouage da mesma forma que o Reflection e é uma criação que se propõe a fazer o acessível de forma bem feita. Quanto ao preço, a verdade é que em perfumaria é uma questão mais de posicionamento, distribuição e público e considerando o tempo que ele está disponível no mercado entendo que Opus II cumpre seu propósito.