Pesquisar este blog

4 de mar de 2018

Lubin Attique - Fragrance Review


No final de 2017 a casa de perfumaria Lubin lançou uma nova trilogia de perfumes, denominada Evocations de Lubin. O objetivo aqui me parece ser focar em 2 características muito apreciadas pelo público que consome perfumaria de nicho e perfumaria exclusiva: minimalismo na composição e foco na nobreza dos materiais envolvidos. Tanto que os novos perfumes são descritos como caracterizados por sua simplicidade, com foco em 2 ou 3 materiais nobres que se juntam para criar perfumes que evocam aromas ao ar livre, duradouros e frescos ao mesmo tempo.
É importante ter ciência disso para que Attique faça sentido, pois tudo que pode ser um ponto fraco de seu aroma como um todo está justamente relacionado a execução condizente com o que a coleção evoca. Attique faz uma alusão poética a obra de um jurista, escritor e gramático latino para evocar o aroma da figueira e é exatamente isso que o perfume faz do começo ao fim.
Eu acho curioso que o foco em Attique seja a figueira considerando que o foco da coleção Evocations é no uso de materiais naturais. Isso pois não há extrações naturais do aroma de figo, principalmente pois há substâncias no natural que são perigosas a saúde. Mas o que Attique faz é uma boa reprodução sintética do aroma fresco e suculento de figo. De certa forma remete a um benchmark desse tipo de composição, o Premier Figuer da L'Artisan. O que os diferencia é que attique põe uma ênfase maior em capturar um frescor mentolado que se contraponha ao aroma suculento e lactônico do figo, provavelmente para por mais ênfase no ambiente ao ar livre que é o foco da coleção. A performance acaba sendo melhor também que o da L'Artisan, entretanto não é um perfume que se destaca pela potência de seu aroma. É simples, harmônico e uma boa reprodução do aroma fresco e suculento dos figos.