Pesquisar este blog

4 de mar de 2018

O Boticario Uomini - Avaliação

Um dos clássicos do Boticário, é interessante como a marca deixa implícito que teve inspirações italianas na criação desse perfume. No site explica que Uomini é uma palavra italiana de origem do Latim e que significa homem. A composição em si também se assemelha a um perfume da grife Dolce & Gabbana, chamado simplesmente de Pour Homme. Mas considerando seu surgimento na década de 90, não há nada de novo nessas inspirações mais explícitas, a perfumaria comercial brasileira dessa década reflete tanto a crise econômica como as barreira de importação, o que tornaram perfumes comerciais importados objetos de luxo dentro do nosso mercado e assim abriram espaço para uma perfumaria nacional que suprisse quem não tinha acesso a eles.
Curiosamente, com o passar dos anos muitos perfumes foram reformulados ou descontinuados por questões de público ou de restrições (que são menos rigorosas no território nacional), de forma que algumas criações clássicas hoje sobrevivem nas inspirações que as originaram. É o caso aqui e é uma pena que a Dolce & Gabbana tenha apostado nisso, visto que a ideia por trás de Uomini e D&G Pour Homme é a de um clássico que está praticamente se tornando extinto: o fougere aromático clássico.
Me lembro de ter sentido esse perfume quando tinha meus 18 anos e o ter detestado por ter um aroma muito seco ao meu nariz. Os anos passam, as percepções mudam e hoje acho Uomini uma criação bem feita e elegante. A empresa lista na pirâmide olfativa a folha de limão, mas na prática Uomini para mim parece girar nas nuances do aroma da laranjeira, como se a criação tivesse o amargo das folhas de laranjeira e uma leve aura floral cítrica de neroli. Esse aspecto floral acaba funcionando como estrutura, na qual nuances aromáticas de ervas são misturadas e cujo o uso de gálbano entra mais para conferir um toque verde. Apesar de não ter listado também, é possível perceber tanto nuances de lavanda como de fava tonka agindo juntas para passar o aroma fougere, um frescor limpo de lavanda que se mistura a um aroma levemente adocicado da laranjeira e o aroma amendoado quase seco da coumarina fazendo o papel de tonka. A fase que talvez mais decepcione em Uomini para mim é a base, que poderia ter mais amadeirado de sândalo e vetiver e um toque mais evidente de musgo de carvalho para reforçar a aura clássica. Mesmo assim, é um excelente perfume para o que se propõe, um que poderia existir numa versão mais intense ou deo parfum até.