Pesquisar este blog

4 de mar de 2018

The House of Oud Almond Harmony, Grape Pearls e Golden Powder - Fragrance Reviews


Após alguns dias de imersão nos perfumes da The House of Oud já a vejo como uma espécie de curadoria de ideias de nicho dos últimos anos. A marca fez um bom trabalho de seleção de perfumes que estruturalmente se assemelham a clássicos de mercado e a boas criações desconhecidas do público geral. O que é interessante nesse processo é que a forma como isso foi trabalhado não faz com que eles parecem imitações de outras criações e se sustentem por si só.
Almond Harmony me faz pensar nos primeiros anos de colecionador de perfumes dado a duas criações que cheguei a conhecer na época: Lush Snowflake e The People of The Labyrinths Luctor Et Emergo. Do primeiro há a semelhança entre a dinâmica das amêndoas e rosa e do segundo há a mesma dinâmica de amêndoa, coumarina, baunilha e heliotropina que remete a massa de modelar play-doh. Almond Harmony abre com o aroma mais amargo e medicinal das amêndoas e com nuances de especiarias e depois evolui para um aspecto um pouco floral e powdery. Depois, lentamente se transforma em um aroma doce e resinoso quente e que remete a massa de modelar.
Grape Pearls a princípio me decepcionou devido a forte presença de materiais ambarados secos, daqueles que reinam em todos os perfumes masculinos ultimamente. Entretanto, é um perfume de nuances, que cresce na pele durante o tempo. Há algo em seu aroma floral que realmente soa perolado e temos flores brancas trabalhadas em sua suculência frutal para remeter ao aroma de uva. Com o tempo, rosa e café se destacam e criam na pele um aroma quente, torrado e levemente adocicado, mantendo parte do aroma de uva. Nessa fase o perfume me faz pensar no Café Rose da Montale, porém mais harmônico e melhor trabalhado.
Golden Powder, pertencente a desert collection, já soa como uma homenagem moderna a uma ideia clássica da perfumaria, os perfumes de sândalo. A princípio seu aroma na pele decepciona um pouco, pois o cheiro amadeirado e seco do sândalo é evidente logo de cara e dá a impressão de que o perfume será linear. Entretanto, assim como Grape Pearls essa é uma criação que muda conforme o tempo passa, mostrando um aroma mais ambarado, levemente adocicado e que é quase uma espécie de assinatura olfativa da casa. De todos testados até o momento é um dos que menos me chamou a atenção, entretanto seu aroma de sândalo soa bem construído e passa a sensação de ser natural.