Pesquisar este blog

22 de set de 2018

Berdoues Grand Crus Somei Yoshino - Avaliação/Resenha/Review


Português (click here for english):

De forma geral pode-se dizer que a coleção Grand Crus da maison Berdoues possui uma execução que do ponto de vista do aroma pende tranquilamente para o unissex. Há, porém, alguns momentos na coleção onde é possível ver claramente um perfume voltado mais para um público do que para o outro. Se Arz el-rab certamente tem mais chances de agradar aos homens por ter um aroma bem amadeirado, Somei Yoshino é um dos mais fáceis da marca de serem vendidos ao público feminino devido ao seu delicado aroma floral e frutal.

Assim como Arz El-Rab é interessante que Somei Yoshino tenha um nome diretamente relacionado a sua inspiração, nesse caso uma espécie de cerejeira popular no japão e que é um híbrido entre duas espécies de cerejeiras. Essa árvore e sua flor são símbolos na cultura japonesa e oriental e apesar dela não ter cheiro muitos marcas se inspiram na beleza e delicadeza das flores para propor um aroma.


Um ponto positivo para Somei Yoshino é que ele não vai direção comum de muitos perfumes que se inspiram na flor e não oferece um muguet verde levemente frutado. Entretanto, olhando na coleção como um todo é um que parece que falta algo para ser um Grand Cru. O aspecto mais verde da folha de shiso é envolvido em nuances frutadas e nesse momento caberia perfeitamente um toque mais cítrico para integrá-lo às outras criações, mas infelizmente esse aspecto não aparece. Vem logo em seguida um acorde delicado de flores brancas que remete a um jasmim mais tenro e há um leve que de pêssego junto do jasmim. A base é bem delicada, uma cama macia de musks com um leve aspecto terroso e canforado de patchouli. Somei Yoshino não tem nenhum outro momento de surpresa em seu aroma, como um toque sutil de incenso que poderia fazer uma referência direta a cultura japonesa. É um perfume muito bom, porém que em uma coleção de excelentes criações acaba sendo ofuscado pelos seus irmãos.

English version

Overall it can be said that the Berdoues Grand Crus collection has an execution that from the point of view of the aroma is easily  unisex/shared. There are, however, a few moments in the collection where you can clearly see a perfume that is more focused to one audience than the other. If Arz el-rab is certainly more likely to please men by having a very woody aroma, Somei Yoshino is one of the easiest to be sold to the female audience due to its delicate floral and fruity aroma.

Just as Arz El-Rab is interesting that Somei Yoshino has a name directly related to his inspiration, in this case a kind of cherry tree popular in Japan and which is a hybrid between two species of cherry trees. This tree and its flower are symbols in Japanese and oriental culture and although it their flowers do not smell many brands are inspired by its beauty and delicacy to propose an aroma.


A good point for Somei Yoshino is that it does not go in the direction of many perfumes that are inspired by the flower and  thus do not offer a slightly fruity green muguet. However, looking at the collection as a whole is one that seems to lack something to be a Grand Cru. The greener aspect of the shiso leaf is wrapped in fruity nuances and at that time it would perfectly fit a more citrus touch to integrate it with other creations but unfortunately this aspect does not appear. Next comes a delicate white flowers accord that reminds to a more tender jasmine and there is a light peach touch with it. The base is very delicate, a soft bed of musks with a slight earthy patchouli appearance. Somei Yoshino has no other moment of surprise in its scent, like a subtle touch of incense that could make a direct reference to Japanese culture. It is a very good perfume, however in a collection of excellent creations it ends up being overshadowed by its brothers/sisters.