Pesquisar este blog

21 de set de 2018

Boticario Malbec Absoluto - Resenha/Avaliação/Review


Tanto a perfumaria nacional como a internacional tem dependido cada vez mais ano após ano do fenômeno dos flankers. O comportamento do consumidor atual demanda lançamentos sem que seja necessário criar novos produtos. Some-se a isso que os ciclos de vida de um perfume se tornam cada vez mais curtos entre a criação e descontinuação e tem-se um cenário perfeito para que se invista mais em flankers do que novas criações. Se por um lado eles diminuem o avanço do mercado como um todo, por outro eles permitem que os pilares existentes possam ser trabalhados de uma maneira mais rica e profunda.

Lançado 8 anos após o primeiro Malbec, a versão Absoluto de sua fragrância é um belo exemplo de como um flanker pode enriquecer a experiência com um perfume consolidado no mercado. O perfumista Napoleão Bastos diz que se inspirou na evolução constante do Homem para criar um perfume que também evoluiu e que amadureceu em alguns aspectos. E é justamente essa evolução progressiva da identidade do Malbec tradicional que torna a versão absoluta tão boa e bem feita.

Tanto na pele como na fita Malbec Absoluto é uma experiência sensorial rica e complexa. Lembro-me que um dia decidi borrifá-lo numa fita na loja e fiquei surpreso com o que sentia, pois não esperava ver debaixo de meu nariz os contornos de um chypre amadeirado clássico dentro de um produto lançado no segmento nacional. Intrigado, resolvi comprar um frasco para poder avaliá-lo melhor e não me arrependi. A versão Absoluto na pele mostra uma exuberância e sofisticação que são raras na perfumaria nacional.

Na pele, o aroma ácido e frutado do tradicional se mostra mais equilibrado ao mesmo tempo que o perfume exibe um aroma bem marcante de cardamomo. Em geral utiliza-se muito o aspecto fresco da especiaria e suaviza-se seu lado mais canforado e sua nuance mais carnal, mas Malbec Absoluto não teme em usar a especiaria em todas as suas nuances. Percebe-se que na pele o aspecto chypre clássico amadeirado é mais sugerido do que evidente e acaba se misturando a um aroma de couro e o que me parece vetiver e e cedro. A versão Absoluto parece orquestrar suas notas de base em diferentes níveis de evolução de forma que de fato elas passam a parecer como parte do corpo da fragrância em vez de fundo. É condizente com a evolução do entendimento que o perfumista afirmar ter desenvolvido ao longo dos anos de vida do Malbec. Assim como o vinho, nesse flanker sua essência só ficou melhor com o tempo.