Pesquisar este blog

21 de set de 2018

Boticario Malbec- Avaliação/Resenha/Review


A criação e lançamento do perfume Malbec para o Boticário é um caso de mosca branca no cenário de criação da perfumaria brasileira. É raro que se encontre perfumes nacionais que partam do zero e que não soem como adaptações do que tem acontecido na perfumaria internacional e é ainda mais raro é que isso aconteça no mercado ultra-conservador da perfumaria masculina. Pode não parecer, mas Malbec foi um momento de risco para empresa e um que ao longo do tempo colheu muitos frutos.

Inspirado no processo de produção de vinhos e nas características da Uva Malbec, a Boticário apostou numa criação amadeirada-frutada em uma década onde o frescor aquático ainda estava em seu auge. Com o tempo aromas frutados se mostraram rentáveis também para o público masculino e é interessante que tenhamos presenciado uma inovação dessas no cenário nacional. O segredo aqui certamente é o aspecto frutado que é explorado e o contexto em que ele é encaixado.

O mais comum é que se explore o aspecto suculento ou fresco das frutas, entretanto Malbec se inspira na processo de amadurecimento do vinho oriundo da variedade de uva de mesmo nome, indo pelo aspecto mais seco das nuances de cassis. Essa acidez frutada é contrabalanceada com aspecto cítrico da saída. A evolução amadeirada passa a sensação de uma modernização de uma estrutura clássica, um aroma amadeirado de cedro com nuances de couro, algo que parece simular os barris de carvalho onde o vinho sofre o processo de envelhecimento.

É fácil desprezar Malbec devido ao seu sucesso, coisa que acontece muito quando um perfume populariza e acabamos cansando de sentí-lo. Ainda sim, é uma criação a ser celebrada por oferecer ao homem brasileiro algo original, bem feito, sofisticado e com um preço razoável. A marca deveria olhar novamente para esse momento de sua história e se inspirar novamente para correr riscos e oferecer criações que com o tempo se tornem clássicos nacionais e distintos.