Pesquisar este blog

25 de set de 2018

Franck Muller Aeternitas - Avaliação/Resenha/Review



Português (click here for english):

A proposta da relojoaria Franck Muller é basicamente traduzir o conceito de cada um de seus caríssimos relógios em perfumes extravagantes de luxo, o que no cenário melhor intencionado amplifica o universo da marca e no cenário com intenções escusas cria uma vaca leiteira de um produto que é barato de fazer e que leva as pessoas a acreditarem que estão consumindo luxo de fato. Me parece que a intenção era a primeira, porém na prática pelos dois perfumes que senti o resultado final é o segundo.

Aeternitas é uma das séries de relojos mais complexas da marca, possuindo 36 segredos. O nome é uma referência ao conceito de eternidade e teoricamente o relógio está ajustado para marcar o tempo eternamente. É um relógio para a elite da elite dado que seu preço é em torno de 2,7 milhões de dólares. A ideia do perfume em si era a de a capturar o conceito de complexidade e eternidade, escolhendo, não sei o porque, a nota de cereja para isso.

Aí produzem um perfume de 210 euros para refletir o luxo e sofisticação de um relógico de 2,7 milhões de dólares e que termina sendo uma criação que parece uma mistura de joop com sabonete com fougere da década de 80? Eu acho estranhíssimo, certamente é complexo, porém não da forma como deveria ser. Há algo do aroma floral neon do Joop aqui, mas nada a ponto de parecer uma cópia como acontece com alguns Xerjoff e Clive Christian. Ainda sim, é uma lembrança estranha, misturada com um aroma de cerejas que por horas é frutal e por horas é mais amêndoado e medicinal. Quando o perfume evolui ele começa a remeter um desses fougere couro mais antigos, não sei por que me vem a cabeça o Drakkar Noir mas é o que eu penso. Há algo também que remete a algum sabonete palmovile que eu usei quando criança. É estranho, pois o perfume parece bem feito, só que é confuso e aponta para referências que dizem exatamente o oposto do que seria a proposta. Não é algo que eu me veria usando e me imaginando fazer parte do universo elitista da marca.

English version

Franck Muller's watchmaking proposition is basically to translate the concept of each of its expensive watches into extravagant luxury perfumes, which in the best-intentional scenario amplifies the universe of the brand and in the scenario with misguided intentions creates a cash cow of a product that is cheap to do and that leads people to believe they are actually consuming luxury. It seems to me that the intention was the first, but in practice by the two perfumes I tested the final result is the second.

Aeternitas is one of the most complex watch series of the brand, possessing 36 secrets. The name is a reference to the concept of eternity and theoretically the clock is set to mark time eternally. It is a watch for the elite of the elite given that its price is around 2.7 million dollars. The idea of ​​perfume itself was to capture the concept of complexity and eternity, choosing, I do not know why, the cherry note for it.

There they produce a 210-euro perfume to reflect the luxury and sophistication of a $ 2.7-million-dollar reliquary that ends up being a creation that looks like a mix of Joop with a soapy fougere from the 1980s? I think it's strange, it's certainly complex, but not the way it should be. There's something of the neon floral scent of Joop here, but nothing to the point of looking like a copy like some Xerjoff and Clive Christian. Still, it is a strange memory, mixed with a cherry scent that for some hours is fruity and for others is more almond and medicinal. When the perfume evolves it starts to refer one of those older leather fougere, I do not know why my head comes to Drakkar Noir but that's what I think. There is something also that reminds me of some palmovile soap that I used as a child. It's strange, because the perfume seems well done, only it is confusing and points to references that say exactly the opposite of what the proposal would be. It's not something I would see myself using and imagining myself to be part of the brand's elite universe.