Pesquisar este blog

23 de set de 2018

Guerlain Homme EDT e Intense EDP - Avaliação/Resenha/Review


Português (click here for english):

Uma das mudanças importantes que aconteceu na perfumaria da Guerlain a partir da década de 2000 e se tornou evidente nos anos seguintes é que seu segmento de perfumaria masculina passou a ser tão importante quanto o de perfumaria feminina. A marca passou a criar e lançar de uma forma mais regular novos pilares para os homens, preocupando-se em oferecer sempre interpretações mais frescas e mais intensas da mesma ideia. Curiosamente, por mais que criasse flankers com um aroma mais fresco e cítrico a Guerlain não possuía nenhum perfume principal com essas características e, percebendo isso, Sylvaine Delacourte se viu inspirada a desenvolver um conceito que cobrisse justamente esse gap.

Eis que surge então em 2008 Guerlain Homme, que buscava sua ideia de frescor de um ponto de vista exótico, a partir de uma memória de viagem de Sylvaine Delacourte. Ele é baseado conceitualmente no Mojito, uma bebida cubana a base de rum, açúcar, hortelã, e soda (ou limão e água gaseificada). O conceito foi entregue as mãos de outro perfumista fora da casa na época e que se tornaria o sucessor do legado de Jean Paul Guerlain. Criado por Thierry Wasser, Guerlain Homme procurava prestar uma discreta homenagem ao clássico de Jean Paul Guerlain, Vetiver Pour Homme, ao mesmo tempo em que mantinha a inspiração no Mojito e prolongava o frescor da saída até o fim da composição.

Eu diria que Thierry Wasser foi bem sucedido em seu conceito, entretanto sua interpretação do Mojito acabou ocasionando uma questão de performance que certamente não agradou o público masculino atual. Guerlain Homme é quase como uma versão moderna e livre de uma Cologne, trocando a dinâmica dos cítricos clássicos por um contraste entre lima, menta e um leve toque de açúcar. Um aspecto clássico é sugerido de forma transparente no coração, que estende o frescor mentolado utilizando o gerânio e um toque verde e aromático de chá verde. O vetiver de base é bem sutil, assim como o patchouli e o cedro e o que parece predominar mesmo em Guerlain Homme para garantir o frescor e leveza até o fim é uma boa dose de musks.Por isso é um perfume que passado a explosão do frescor inicial e a dinâmica de suas primeiras 2 horas se torna quase um sussurro na pele.


A versão Intense EDP lançada um ano depois acaba corrigindo esses aspectos 'problemáticos' da ideia inicial e consegue capturar de uma forma mais interessante o conceito proposto. Apesar dessa versão perder parte da sua aura cítrica do drink ela ganha um interessante aroma gourmand mentolado, como se o reforço da menta e um pouquinho mais de açúcar criasse a ilusão de um licor de menta. Não há nada mencionado na pirâmide, porém de fundo sinto um aspecto de couro clássico que cria um belíssimo contraste e introduz uma faceta chypre bem sutil a ideia. O gerânio no coração é mais intenso, dando uma dimensão mais fougére ao aroma, e a base possui um aroma bem mais amadeirado e presente, onde é possível perceber parte do frescor mentolado em meio ao aroma vetiver e o toque levemente terroso do patchouli de fundo. Ao passo que a versão EDT não gerou vendas o suficiente para se manter em produção a versão Intense EDP foi relançada como Guerlain Homme EDP e se tornou a versão oficial do primeiro pilar fresco e aromático da marca.

English version

One of the important changes that took place in Guerlain's perfumery from the 2000s and became evident in the following years is that its male fragrance segment has become as important as that of female perfumery. The brand began to create and launch new pillars more regularly for men, always striving to offer fresh and more intense interpretations of the same idea. Curiously, however much it created flankers with a fresher, citrusy scent, Guerlain had no such major perfume, and realizing this, Sylvaine Delacourte was inspired to develop a concept that rightly covered that gap.

So in 2008 Guerlain Homme appeared, seeking its idea of ​​freshness from an exotic point of view, from a travel memory of Sylvaine Delacourte. It is conceptually based on Mojito, a Cuban drink made of rum, sugar, mint, and soda (or lemon and fizzy water). The concept was handed the hands of another perfumer outside the house at the time and who would become the successor to the legacy of Jean Paul Guerlain. Created by Thierry Wasser, Guerlain Homme sought to pay tribute to Jean Paul Guerlain's classic Vetiver Pour Homme, while maintaining its inspiration in the Mojito and prolonging the freshness of the output until the end of the composition.

I would say Thierry Wasser was successful in his concept, however his interpretation of the Mojito ended up causing a performance issue that certainly did not please the current masculine audience. Guerlain Homme is almost like a modern, Cologne-free version, replacing the dynamics of classic citrus with a contrast between lime, mint and a hint of sugar. A classic aura is transparently suggested in the heart, which extends the menthol freshness using geranium and adds a green and aromatic touch of green tea. The vetiver base is very subtle, with a little of  patchouli and cedar and what seems to predominate even in Guerlain Homme to ensure freshness and lightness to the end is a good dose of musks. So it is a perfume that past the explosion of the initial freshness and the dynamics of its first 2 hours becomes almost a whisper on the skin.


The Intense EDP version released a year later ends up correcting these 'problematic' aspects of the initial idea and manages to capture in a more interesting way the proposed concept. Although this version loses part of its citrus aura of the drink it gains an interesting menthol gourmand aroma, as if the reinforcement of the mint and a little more of sugar created the illusion of a liquor of mint. There is nothing mentioned in the pyramid, but in the background I feel a classic leather aspect that creates a beautiful contrast and introduces a very subtle chypre facet to the idea. The geranium in the heart is more intense, giving a fougere dimension to the aroma, and the base has a much more woody and present aroma, where it is possible to perceive part of the menthol freshness amid the vetiver aroma and the slightly earthy touch of the patchouli . While the EDT version did not generate sales enough to keep in production the Intense EDP version was relaunched as Guerlain Homme EDP and became the official version of the first fresh and aromatic pillar of the brand.