Pesquisar este blog

24 de set de 2018

Parfums de Marly Carlisle - Avaliação/Resenha/Review



Português (click here for english):

Diferente da temática recorrente da marca, Carlisle não parece ser inspirado em uma raça específica de Cavalos e sim em uma corrida de cavalos que ocorre desde 1904 na Inglaterra. É uma pena que a marca não entre em muitos detalhes com relação ao conceito, permitindo apenas essa especulação em relação a como a temática se ligaria ao universo proposto por ela. Curiosamente, é justo em um perfume de conceito misterioso que a marca cria um de seus melhores do ponto de vista olfativo.

Carlisle pode se referir a uma corrida inglesa, entretanto seu coração certamente mora em terras orientais. O tema olfativo é proposto como uma construção ao redor de sândalo, o que chega a ser bem curioso já que olfativamente falando o perfume não tem uma temática explícita de sândalo. A verdadeira temática da composição acaba girando ao redor de um aroma spicy ambarado e de couro e que exala uma sofisticação que o destaca em relação a outros perfumes da marca.

A princípio há uma rápida semelhança com dois perfumes. A combinação de um toque adocicado, especiarias quentes e um aspecto de maçã remete por breves momentos ao Tom Ford Noir Extreme e, em menor grau, ao Ambre Narguile da Hermés. Essa semelhança se dissipa com o surgimento de uma nuance spicy de couro proveniente do açafrão e um toque animálico que pode ser tanto açafrão ou um uso discreto de musk ou castoreum. Dominando a composição o açafrão é magnífico, quente, negro como a descrição propõe mas bem refinado e de muita qualidade. Ele conduz para um final ambarado, onde o opoponax dá um aspecto mais clássico ao lado ambarado da temática e é complementado por uma doçura discreta de baunilha e um aroma amadeirado terroso de patchouli. Esse perfume é um dos casos onde por mais que o nome e o conceito criado não sejam claros o aroma em si é tão bem feito que compensa o resto. É um excelente oriental, quente, rico, harmônico e sem ser exagerado ou pesado.

English version

Unlike the brand's recurring theme, Carlisle does not seem to be inspired by a specific race of horses but rather by a horse race that has been taking place in England since 1904. It is a pity that the brand does not go into many details about the concept, allowing only such speculation as to how the subject would link itself to the universe proposed by it. Interestingly, it is exactly in this mysterious concept perfume that the brand creates one of its best from the olfactory point of view.

Carlisle may refer to an English race but its heart certainly dwells on oriental lands. The olfactory theme is proposed as a construction around sandalwood, which is quite curious since olfactory speaking the perfume does not have an explicit sandalwood theme. The true theme of the composition ends up revolving around a spicy amber and leather aroma and exudes a sophistication that stands out in relation to other perfumes of the brand.

At first there is a quick resemblance to two perfumes. The combination of a sweet touch, hot spices and an apple briefly reminds Tom Ford Noir Extreme and, to a lesser extent, Hermès Ambre Narguile. This resemblance dissipates with the appearance of a spicy nuance of leather from the saffron and an animalic touch that can be either saffron or a discreet use of musk or castoreum. Dominating the composition the saffron is magnificent, warm, with a black aroma as the description proposes but well refined and of great quality. It leads to an amber finish where the opoponax gives a more classic look to the amber part and that is complemented by a discreet sweetness of vanilla and a woody scent of patchouli. This perfume is one of the cases where as much as the name and the concept created are not clear the aroma itself is so well done that it makes up for the rest. It is an excellent oriental, warm, rich, harmonic and without being overdone or heavy.