Pesquisar este blog

24 de set de 2018

Parfums de Marly Hamdani - Avaliação/Resenha/Review

Português (click here for english):

Muitos conhecem que um período histórico muito importante da perfumaria foi o período do século XVIII durante a corte do rei Luís XV, também conhecido como o Rei Sol. O rei Luís XV era apaixonado por perfumes como nós, a ponto de requerer um perfume diferente todo dia para seus aposentos e ter um perfumista exclusivo. O que poucos sabem, e eu mesmo desconhecia, é o fato de que Luis XV também era apaixonado por Cavalos dedicando um dos castelos da França, o castelo de Marly, ao bem estar deles. Unindo os dois mundos surge então a Parfums de Marly, com uma proposta intrigante: dedicar e interpretar cada um dos perfumes a um Cavalo diferente.

Resolvi pesquisar mais a respeito de Hamdani e descobri que essa é uma raça de cavalo oriunda da África e criada em território Árabe e provavelmente foi uma das raças que o rei da Tunísia ofereceu ao rei Luís XV para seu castelo de Marly. Pelo que descobri, é uma raça da cavalo nobre, especial, de porte muscular e que necessita de um tempo para que se ganhe sua amizade e confiança. Hamdani o perfume da Parfums de Marly tenta capturar essas características em seu aroma ao mesmo tempo que faz uma homenagem aos perfumes árabes.

Hamdani é representado pelo aroma de couro e de agarwood e couro de Hamdani é uma mescla de diversas nuances. Temos o aspecto fenólico e que é utilizado em flores como o narciso, o aroma animálico de castoreum, o cheiro de couro mais clássico e meio defumado do estoraque e o aroma medicinal de mel e cravo complementado o cenário. A saída é praticamente um coice de agarwood e notas animálicas fazendo o papel de couro. Depois que o perfume começa a assentar na pele, esse aspecto mais selvagem se vai e o perfume assume uma postura muscular, um oud amadeirado forte, com o aroma de raiz da nargamota e o cheiro amadeirado seco e sutilmente defumado da madeira de guaic. É um perfume que não suaviza no aroma, potente do começo ao fim e que deve se tomar cuidado ao se borrifar para não enjoar a si próprio. Vejo que sua beleza árabe mais animálica certamente não é para todos, mas para quem curte perfumes mais desafiadores vale a pena conhecer esse nobre cavalo dos perfumes.

English version

Many know that a very important historical period of perfumery was the period of the eighteenth century during the court of King Louis XV, also known as the Sun King. King Louis XV was in love with perfumes like us, to the point of requiring a different perfume every day to his rooms and of having an exclusive perfumer. What few know, myself included, is the fact that Louis XV was also in love with Horses, dedicating one of the castles of France, the castle of Marly, to their well-being. Joining the two worlds then comes the Parfums de Marly, with an intriguing proposal: to dedicate and interpret each of the perfumes to a different Horse.

I decided to find out more about Hamdani and discovered that this is a horse breed from Africa and raised in Arab territory and was probably one of the races that the king of Tunisia offered to King Louis XV to his castle of Marly. From what I have learned, it is a noble, special, muscular-sized breed of horse that needs time to earn its friendship and trust. Hamdani's Parfums de Marly perfume tries to capture these characteristics in its aroma while at the same time pays homage to the Arab perfumes.


Hamdani is represented by the aroma of leather and agarwood and Hamdani leather is a blend of various nuances. We have the phenolic aspect used in flowers like narcissus, the animaluc aroma of castoreum, the more classicla and smoked leather aroma of styrax and the medicinal aroma of honey and carnation complementing the scene. The opening is practically an ache of agarwood and animalic notes making the leather paper. Once the scent begins to settle on the skin, this wilder aspect is gone and the scent assumes a muscular stance, a strong woody oud, with the root aroma of the nargamothe and the dry, subtly smoky woody scent of guaic wood. It is a fragrance that does not soften in the aroma, powerful from beginning to end and that you must be careful when spraying yourself so as not to become overwhelmed by it. I see that its more animalic Arabian beauty  certainly is not for all, but for who likes more defiant perfumes it is worth knowing this noble horse of the perfumes.