Pesquisar este blog

24 de set de 2018

Viktor & Rolf Magic Sparkling Secret - Avaliação/Resenha/Review



Português (click here for english):

Quando você conhece várias das coleções exclusivas percebe que muitas delas quando não querem arriscar seguem um padrão. Você vai encontrar sempre um perfume cítrico, um oriental, um frutado, um amadeirado e assim por diante, cobrindo vários territórios. Não há problema nisso quando se consegue dar uma visão de identidade a esse padrão, e algumas marcas acha que basta padronizar frascos, descrições e nomes para que isso aconteça. E aí obtém-se um resultado como a Magic Collection, que em vez de uma coleção de fato é apenas um apanhado de ideias que no melhor dos casos são como Sparkling Secret, funcionam apesar dos problemas.

Aqui o que dá certo é justamente a execução, pois a ideia de Sparkling Secret é bem manjada: reinventar o frescor. O perfume cobre a lacuna da cologne floral cítrica que muita coleção exclusiva propõe mas pelo menos é um dos perfumes mais esforçados da coleção a fazer isso dar certo por mais que não haja nada de novo.

Pela primeira vez até esse momento o conceito se integra com o perfume: a saída de fato remete a um suculento coquetel cítrico onde a lima contribui com um aspecto mais verde e fresco e é ancorada no frescor cítrico do gengibre. O coração floral de neroli é interessante pois explora a conexão entre a laranjeira e a tuberosa porém pelo espectro verde e fresco das duas flores; talvez por isso inclusive muitos possam não reconhecer a tuberosa nesse momento. Por fim, o perfume acaba numa base manjada, feita para garantir a performance de uma ideia que depende muito de elementos volateis. Temos um aroma ambarado amadeirado seco, musks e a baunilha e tonka prometidas acabam ficando mais na teoria do que na prática.

A ideia do perfume em si me faz pensar no Cologne Indelebile de Frederic Malle, porém com uma base mais potente e um frescor mais complexo na saída. Se você não é fã de materiais ambarados amadeirados o fundo pode incomodar, mas se você é fã certamente a boa performance deles vai agradar. É uma aposta segura, porém uma que pelo menos é coerente e bem feita e isso tem seu valor.

English version

When you know several of the exclusive collections you notice that many of them when follow a pattern when avoiding to risk. You will always find a citrus scent, an oriental, a fruity, a woody and so on, covering various territories. There is no problem in that when you can give a view of identity to this pattern, and some brands think that you just have to standardize bottles, descriptions and names for this to happen. And there you get a result like the Magic Collection, which instead of a collection of fact is just a collection of ideas that at best are like Sparkling Secret, work despite the problems.

Here what works is precisely the execution, because the idea of Sparkling Secret is well-managed: to reinvent the freshness. The perfume covers the gap of the citrus floral cologne that many exclusive collection proposes but at least it is one of the most hardworking perfumes of the collection to make it work for more that there is nothing new.

For the first time up to this point the concept integrates with the perfume: the actual opening refers to a juicy citrus cocktail where the lime contributes a greener and fresh aura and is anchored in the citrus freshness of the ginger. The floral heart of neroli is interesting because it explores the connection between the orange tree and the tuberose but by the green and fresh spectrum of the two flowers; perhaps many may not recognize tuberose at this moment in the perfume since the flower is mostly explored in narcotic ways. Finally, the fragrance finishes on base made to guarantee the performance of the idea that uses a lot of voletile elements on its core (citrus and floral citrus). We have an amber dry woodsy aroma, musks and the promised vanilla and tonka end up getting more in theory than in practice.

The idea of the perfume itself makes me think of Frederic Malle's Cologne Indelebile, but with a more powerful base and more complex freshness on the opening. If you are not a fan of woody amber materials the base may bother you but if you are a fan certainly the good performance of them will please. It is a safe bet, but one that is at least coherent and well made and that has its value.