Pesquisar este blog

21 de out de 2018

Guerlain Aqua Allegoria Lavande Velours e Ylang & Vanille - Avaliação/Resenha/Review



Português (click here for english):

Talvez por ainda não estar sob tanta pressão da LVMH os perfumistas da Guerlain foram capazes de criar na primeira coleção de Aqua Allegoria uma linha que permeia os integrantes e fazem com que eles de fato formem juntos um tema. Vejo um interessante caso onde a simplificação dos conceitos e temáticas de fato leva a uma apreciação maior da riqueza dos materiais retratados, principalmente quando se fala em nuances do aroma.

Apesar da Lavanda estar presente desde o começo da perfumaria da Guerlain Lavande Velours é o primeiro perfume da marca a colocá-la como centro das atenções. Penso que talvez houvesse alguma resistência dado a conotação de produto de limpeza que a Lavanda adquiriu em algumas culturas. Aqui porém isso passa bem longe, já que os aspectos mais herbais e medicinais da nota estão presentes junto com o lado refrescante e canforado. De fundo há citações a alementos da assinatura olfativa da marca: toques de tonka, a violeta fazendo o papel powdery e ao mesmo tempo sugerindo uma nuance de iris. Na evolução, o aspecto adocicado da lavanda se combina com uma nuances amadeirada e o que me parece ser um leve asecto de baunilha. Para o público Brasileiro que aprecia lavandas a marca poderia muito bem relançá-lo e pôr mais enfoque no frescor da nota.

Dos 5 integrantes iniciais Ylang & Vanille foi o único a conter dois protagonistas em sua temática, algo que aconteceria posteriormente em alguns dos lançamentos da linha. Apesar da baunilha ser a estrela aqui e uma das notas icônicas da marca ela divide os holofotes bem com o ylang, sendo que a flor é essencial para trazer à vida o aspecto mais narcótico e carnal da fava da baunilha que é perdido quando se foca apenas na cremosidade gourmand do aroma. Ylang & Vanille criam uma bela e direta fantasia tropical de aromas cremosos, contornos florais e frutais e uma aura quente e de cor ambar na pele. Aconchegante e sensual ao mesmo tempo.

English version

Perhaps by not being not under so much pressure from LVMH Guerlain perfumers were able to create in the first collection of Aqua Allegoria a line that permeates the members and make them in fact form a theme together. I see an interesting case where the simplification of concepts and thematic in fact leads to a greater appreciation of the richness of the materials portrayed, especially when talking about nuances of its aromas.

Although Lavender is present from the beginning of the Guerlain perfumes Lavande Velours is the brand's first perfume to put it in the limelight. I think there may have been some resistance given the connotation of cleansing agent that Lavender has acquired in some cultures. Here, however, this goes a long way, since the more herbal and medicinal aspects of the note are present along with the refreshing and camphorated side. In the background there are quotes to the olfactory signature of the brand: some tonka, violet making the powdery paper and at the same time suggesting a nuance of iris. In evolution, the sweetened aspect of lavender is combined with a woody nuance and what seems to me to be a slight vanilla aspect. For the Brazilian public who appreciates lavenders the brand could do very well in relaunch it and putting more focus on the freshness of the note.

Of the 5 initial members Ylang & Vanille was the only one to contain two protagonists in their theme, something that would happen later in some of the line launches. Although the vanilla is the star here and one of the iconic notes of the brand, it divides the spotlight well with the ylang, and the flower is essential to bring to life the most narcotic and carnal aspect of the vanilla bean that is lost when it focuses only in the gourmand creaminess of the aroma. Ylang & Vanille create a beautiful and direct tropical fantasy with creamy aromas, floral and fruity outlines and a warm, amber-colored aura on the skin. Cozy and sensual at the same time.