Pesquisar este blog

2 de dez de 2018

Giorgio Armani Eau de Nuit e Eau de Nuit Oud - Avaliação/Resenha/Review


Português (scroll down for english version):

Em 2013 a Giorgio Armani resolveu que precisava entrar na competição do mercado pela demanda dos usuários por perfumes de iris. O sucesso progressivo do Dior Homme e sua versão intense abriu isso no mercado masculino e algumas marcas percebendo o potencial fizeram suas criações pondo em foco as vezes o aroma terroso, as vezes o lado mais atalcado da iris. No caso da Armani, isso foi feito com um mix das duas facetas na versão noturna do seu clássico Armani Eau Pour Homme. Com o tempo, como ficaria claro, Eau de Nuit foi o primeiro de um projeto a criar uma nova linha de composições chamadas de Armani Eau.
É importante entender como linha pois de fato o perfume Eau de Nuit é independente em aroma do Armani Eau Pour Homme tradicional, não sendo uma mera variação do mesmo. Seu cheiro apesar de estar supostamente orientado ao uso noturno, é uma composição quente mas moderada que facilmente pode ser usada durante o dia. O aroma da iris tem um lado terroso e um aspecto atalcado, mas sua presença é tratada de uma forma mais discreta, meio que transparente. Ela é envolvida num aroma amêndoado de fava tonka e algo especiado que chega a remeter ligeiramente a canela junto o toque apimentado e o lado mais fresco do cardamomo. Eau de Nuit possui uma base oriental leve, um aroma amadeirado ambarado que permanece como uma espécie de segunda pele depois que as especiarias e iris evoluem.
3 anos após o lançamento da versão Eau de Nuit a Armani decidiu expandir seu aroma oferecendo-o em uma versão voltada para o público árabe, uma prática que tem sido comum a quase todas as marcas comerciais. Eu diria que de maneira similar a forma como é tratada a iris, o flanker Eau de Nuit Oud é uma variação que mantém o toque oriental minimalista e transparente da versão eau de nuit e a acrescenta a ele um aspecto um pouco mais exótico de oud. Ainda sim, esse não é um oud animálico, doce ou exageradamente ambarado. Seu cheiro está mais para um aroma amadeirado com um toque spicy de açafrão, similar ao que acontece com o Oud no primeiro perfume de Francis Kurkdjian. Ambos são Ouds voltados mais para o público ocidental e para quem deseja um toque de exotismo arriscando bem pouco. Por isso chega até a ser curioso que essa versão tenha sido direcionado para o público árabe, pois certamente faria mais sucesso em uma distribuição mais ampla.

English:

In 2013 Giorgio Armani decided that he needed to enter the market competition by user demand for iris perfumes. The progressive success of the Dior Homme and its intense version opened it up in the male market and some brands realizing the potential made their creations by focusing on the sometimes earthy scent sometimes powdery of the iris. In the case of Armani, this was done with a mix of the two facets in the night version of its classic Armani Eau Pour Homme. Over time, as would be clear, Eau de Nuit was the first of a project to create a new line of compositions called Armani Eau.

It is important to understand it inside of a line because in fact the Eau de Nuit perfume is independent in aroma of the traditional Armani Eau Pour Homme, not being a mere variation of it. Its smell, although supposedly aimed at night use, is a warm but moderate composition that can easily be used during the day. The iris scent has an earthy side and a powdery appearance, but its presence is treated in a more discreet, rather than transparent way. It is wrapped in an almond flavor of tonka bean and something spicy that even slightly tinses the cinnamon along with the spicy touch and the fresher side of the cardamom. Eau de Nuit has a light oriental base, an ambery woody scent that remains as a kind of second skin after the spices and irises evolve.

3 years after the release of the Eau de Nuit version Armani decided to expand its aroma by offering it in a version aimed at the Arab public, a practice that has been common to almost all brands. I would say that in a similar way to the way the iris is treated, the Eau de Nuit Oud flanker is a variation that maintains the minimalist and transparent oriental touch of the eau de nuit version and adds to it a slightly more exotic aspect of oud. Yet, this is not an animaly, sweet or overly amber oud. Its scent is more for a woody scent with a spicy touch of saffron, similar to what happens to Oud in Francis Kurkdjian's first perfume. Both are Ouds geared more towards the western public and for those who want a touch of exoticism risking very little. So it is curious that this version was directed to the Arab public, because it would certainly be more successful in a wider distribution.