Pesquisar este blog

2 de dez de 2018

Issey Miyake L'Eau d'Issey Noir Ambre - Avaliação/Resenha/Review


Português (scroll down for english version):

No mercado comercial atual, um erro facil de se cometer quando se espera inovação e perfumes interessantes é focar nos pilares de cada marca, nos perfumes que são lançados com tudo novo. Esses tem sido vacas leiteiras, investindo em direções seguras que provém lucratividade às marcas. As grandes surpresas tem aparecido sempre em perfumes como Noir Ambre, flankers cuja a proposta e até mesmo a distribuição mais limitada abrem espaço para experimentação e risco.

L'Eau D'Issey Noir Ambre é um projeto interessantíssimo apesar de soar clichê quando se pensa em sua proposta. A ideia aqui é a mesma de outras marcas, pular no vagão das edições limitadas focadas para o público árabe. Para isso, a marca propõe o encontro do Oriente com o Ocidente e a proposta de um oriental luminoso que acrescenta ao original notas ambaradas e madeiras darks e vibrantes. Olhando assim, Noir Ambre tinha tudo para ser mais um perfume de agarwood ou ambar como muitos outros no mercado. E a maior surpresa é que ele não é.


Eu diria que há um trabalho genial aqui de realmente conciliar o estilo aquático ozônico do L'Eau D'Issey, representando o ocidente, com um aroma ambarado e de couro, que é a proposta do oriente. Curiosamente, o couro que o perfumista trás me faz pensar em algo mais oitentista, meio ao estilo do que Antaeus tem, entretanto com uma carga mais árabe, com a presença do açafrão, um aspecto de incenso e um sutil toque de agarwood. O lado mais ozônico se encaixa perfeitamente nesse aroma de couro mais agressivo e trás um frescor inesperado, que ganha uma camada extra de complexidade pelo contraste entre um lado especiado mais quente de canela e um lado especiado mais herbal e frio, algo devido a presença do coriandro e da noz moscada. O perfume consegue entregar tudo que se propõe, é ousado, diferente e ainda sim faz uma ligaçao com o L'Eau D'Issey tradicional. Um excelente projeto com um toque inovador que pode passar facilmente despercebido aos desavisados.

English:

In the current commercial market, an easy mistake to make when hoping for innovate and interesting perfumes is to focus on the pillars of each brand, in the perfumes that are launched with everything new. These have been cash cows, investing in safe directions that provide profitability to brands. The big surprises have been appearing in perfumes like Noir Ambre, flankers whose proposal and even the most limited distribution open space for experimentation and risk.

L'Eau D'Issey Noir Ambre is a very interesting project although it sounds cliché when thinking about its proposal. The idea here is the same as other brands, jumping in the bandwagon of limited editions focused on the Arab public. For this, the brand proposes the encounter of the East with the West and the proposal of a luminous oriental that adds to the original amber notes, dark woods and vibrant aromas. Looking at it, Noir Ambre had everything to be more of an agarwood perfume or amber like many others on the market. And the biggest surprise is that it is not.


I would say that there is a genius work here to really reconcile L'Eau D'Issey's ozone-like aquatic style, representing the west, with an amber and leathery scent, which is the proposal from the East. Curiously, the leather that the perfumer creates  makes me think of something more of the eighties in the style of what Antaeus has, though with a more Arabian burden, with the presence of saffron, an aspect of incense and a subtle touch of agarwood. The more ozonic side fits perfectly in this more aggressive leather aroma and brings an unexpected freshness, which gains an extra layer of complexity by the contrast between a hot spicy cinnamon and a  more herbal and cold spices, something due to the presence of coriander and nutmeg. The perfume is able to deliver everything that is proposed, is daring, different and still does a connection with the traditional L'Eau D'Issey. An excellent design with an innovative touch that can easily go unnoticed by the unsuspecting.