Pesquisar este blog

2 de dez de 2018

Tom Ford Mandarino di Amalfi Acqua - Avaliação/Resenha/Review


Português (scroll down for english version):

É impressionante o poder de marca de Tom Ford e ele sabe disso pela forma como explora seus perfumes. O que seria alvo de críticas em outras marcas passa tranquilamente dentro da Private Blend. E para isso a marca alia o poder do nome de Tom Ford com publicidades picantes, criando o poder do choque onde não haveria. E isso certamente ajuda a vender criações como Mandarino di Amalfi Acqua.
Que uma linha de colognes cítricas com ar clássico já seja vendida a preço de ouro é um grande feito, agora lançar variações aquáticas dessas colognes a preço de ouro é uma ousadia que acho impressionante. É você pegar uma das ideias mais baratas da perfumaria - a dos cítricos clássicos cologne - dar um frescor que justifique o nome acqua, cobrar uma fortuna e convencer as pessoas de que elas precisam disso e que devem pagar pelo preço; Somente com um nome forte você consegue isso.
Mandarino di Amalfi Acqua é um perfume medíocre para o que oferece, indigno de se perder muito tempo descrevendo. Basicamente é uma versão do original onde a ênfase é dada na leveza do frescor cítrico, tirando os aspectos florais do corpo e simplificando a base. Basicamente você está pagando caro pelo que uma 4711 ou um Eau de Cologne Imperiale faz, só que num frasco azul fosco e pagando 175 dólares por algo de duração pífia na pele. A única diferença é que tem o nome Tom Ford aqui, é isso que você está pagando. Se Mandarino di Amalfi é uma viagem luxuosa mesmo que manjada a versão Acqua é a irmão meia boca dela, onde você ainda paga caro mas tem guia turístico te levando para dar um rolê rápido para você voltar pro hotel depois. Bem sem graça

English:

Tom Ford's brand power is impressive and he knows this by the way he explores his perfumes. What would be criticized in other brands goes smoothly inside the Private Blend. And to do that the brand combines the power of Tom Ford's name with racy advertisements, creating the power of shock where there would not be. And this certainly helps sell creations like Mandarino di Amalfi Acqua.

That a line of citrus colognes with classic air is already sold at a price of gold is a great feat, now to launch aquatic variations of these colognes at a price of gold is a boldness that I find impressive. You take  one of the cheapest ideas of perfumery - the classic citrus cologne - give a freshness that justifies the name acqua, charge a fortune and convince people that they need it and must pay for the price; Only with a strong name can you achieve this.

Mandarino di Amalfi Acqua is a mediocre perfume for what it offers, unworthy of being loosing a long time describing. Basically it is a version of the original where the emphasis is given on the lightness of the citrus freshness, taking away the floral aspects of the body and simplifying the base. Basically you're paying a lot for what a 4711 or an Eau de Cologne Imperiale does, except that is delivered in a frosted blue bottle and paying $ 175 for something fleeting. The only difference is that it has the name Tom Ford here, that's what you're paying for. If Mandarino di Amalfi is a luxurious trip the Acqua version is irs cheap brother trip, where you still pay a lot but with a tour guide taking you for a quick city tour for you to return to the hotel after. Very bland