3 de fev de 2019

Natura Kriska e Kriska Frésia - Avaliação/Resenha/Review

Confesso que esse era um dos perfumes da marca que eu estava mais curioso para testar na pele, visto a polêmica que há ao seu redor. Sei que muitas pessoas não o suportam e acho que entendi o motivo: é um perfume fortíssimo, dos que podem dominar o ambiente se aplicado de forma mais liberal na pele. Muitos perfumes da natura não são assim, então eu imagino que deve ter gente que abusa desse aqui na hora de aplicar. Foi o único que eu usei pouco da amostra até agora, estava desconfiado que isso iria acontecer e meu pressentimento estava acertado.

A verdade é que não teria como Kriska ser suave considerando de quem ele descende. É a filha brasileira da mãe dos florais frutais e de um dos perfumes mais influentes da história recente da perfumaria, Lancôme Tresor. Eu não diria que Kriska é uma cópia literal do Tresor, mas a forma olfativa é a mesma, da rosa frutada carregada em baunilha e com nuances de especiarias e incenso. A maior diferença para mim é que Kriska, pelo menos na versão atual, possui menos do cheiro de pêssego do Tresor que tanto me lembra remédio infantil.

Para quem gosta de baunilhas encorpadas com rosas, Kriska é muito bom. Eu acho seu uso mais adequado para a noite ou para dias frios, se for usar fora isso é bom maneirar pois conforme a pele ou o ambiente esquenta ele exala de forma intensa. Pode ser polêmico e pode até ter preconceito ao redor dele, mas não deixa de ser um bom perfume e uma excelente versão de ótimo custo/benefício da ideia encontrada no Tresor.

A versão descontinuada de Kriska, o flanker Frésia, é um que a Natura fez bem em descontinuar, em nada se assemelha ao tradicional e fora isso é um dos florais mais sem sal da marca. Eu acho frésia uma flor difícil de ser feita em perfumes, já que na maioria das vezes ela fica com cheiro de aroma floral de desodorante e não de um perfume fino e é o caso do Frésia. Ele começa com esse acorde que remete a rexona e depois evolui para um cheiro de rosas e um quê floral delicado que remete a iris, com um fundinho levemente abaunilhado e bem difícil de detectar. É um bem fraco e que não vale caçar um frasco.