27 de mai de 2019

Carolina Herrera 212 Vip Men Black - Avaliação/Resenha/Review



Conceito: 2 Olfativo: 2.5 Técnico: 3 Apresentação: 4,5
Nota Final: 2,7 Nota Faixa: 2,7
Faixa de Preço: 3 - 300 até 600 reais

Alguns perfumes quando criam um conceito involuntariamente nos fazem imaginar coisas que não necessariamente veríamos sem isso. Não que isso signifique que o perfume tenha sido bem desenvolvido mas que simplesmente dentro do conceito mal-desenvolvido é capaz de enxergar o motivo pelo que isso acontece, que é o caso 212 Vip Man Black. Essa versão do 212 Vip Men acaba sofrendo justamente da síndrome dos perfumes Black, que raramente passam de fato uma sensação mais noturna ou pesada do perfume do qual derivam.

Se o 212 Vip Man representa o jovem despojado e festeiro, 212 Vip Man Black me faz pensar na mesma faixa etária depois de algumas horas e muitas bebidas dentro dessa festa. Na cabeça do homem 212 Vip Men Black ele é incrível, inspirador e a alma da festa. Ele acredita que é o foco da festa, que é sensual, viciante, ousado e misterioso. Na prática, porém, ele é apenas mais um bêbado genérico com excesso de personalidade incomodando os outros acreditando ser o que não é. E ele já bebeu tanto que seus sentidos estão comprometidos,de forma que olfativamente ele representa um borrão genérico de aromas misturados de uma festa.

É fato que a versão 212 Vip não é exatamente um perfume único e criativo, entretanto sua variação da ideia do 1 Million consegue ter uma personalidade própria. A versão 212 Vip Black, entretanto, é um aroma de qualquer coisa de festa que não se dá ao trabalho de dizer ao que veio ou de mostrar o motivo pelo qual ele é distinto. O marketing da marca tenta manter a ideia de bebidas acrescentando o aroma de absinto em contraste com a lavanda. Na cabeça desse nosso amigo etílico isso cria uma abordagem destemida. Na prática, o absinto está tímido e só acredita que é destemido e marcante pois está bêbado.

Passado a ideia do contraste do absinto e lavanda o que vem depois é uma mistura de cheiros genéricos de perfumes noturnos. Um qualquer coisa de baunilha para criar doçura, um qualquer coisa de couro para tentar criar personalidade, muito musk para criar algo que tem tanto medo de desagradar alguém que é inofensivo. O perfil do aroma em si vai totalmente contra o conceito proposto e até mesmo a performance é mediana no máximo, o que é intrigante considerando que essa versão é EDP. O único ponto que se destaca de fato é o frasco, cuja a variação em preto é sofisticada e moderna. De resto, 212 Vip Men Black só é ousado na cabeça etílica dele, na prática é um perfume mediano que não fede nem cheira.