28 de mai de 2019

Carolina Herrera 212 Vip Men Party Fever - Avaliação/Resenha/Review



Conceito: 2.5 Olfativo: 3 Técnico: 4 Apresentação: 4.5
Nota Final: 3.2 Nota Faixa: 3.2
Faixa de Preço: 3 - 300 até 600 reais

Uma coisa que certamente chama a atenção na linha de fragrâncias 212 Vip Men são os frascos, sólidos, com um acabamento sofisticado e cores que se destacam. Mas isso me faz refletir que um dos grandes pecados da perfumaria que dos últimos 20-30 anos é justamente isso: a aparência prevalece em meio a essência. E isso se tornou mais fácil de ser mascarado em uma indústria que lança freneticamente perfumes no formato de flankers, onde você não precisa construir um conceito novo e onde a fragrância é feita para ser uma edição limitada e durar pouco. Em um formato desses, simplesmente não importa a coerência.

Conceitualmente 212 Vip Men Party Fever tem o objetivo de manter as características despojadas e jovens que a linha 212 Vip representa e para isso nada melhor que algo que apesar de não ser novo ainda possui um quê de proibido e controverso. Para isso é proposto uma combinação de Gengibre e Cannabis em combustão, propondo uma energia confiante e exuberante (e nesse sentido talvez Cocaína seria mais apropriada que maconha). Esse flanker do 212 Vip sofre o mesmo problema do 212 Vip Black, onde o que é entregue pouco tem a ver com o que o perfume realmente entrega na pele.

O efeito furta-cor proposto no frasco não é atingido por meio dos supostos protagonistas (gengibre e maconha) que aliás pouco aparecem na composição. Se há algo no limite do risco aqui é o fato de que na prática entregam um perfume que seria tranquilamente feminino dentro de um conceito masculino. A fragrância abre com um colorido frutal cítrico e com nuances suculentas de maçã e rapidamente se transforma em um aroma açúcarado que domina qualquer frescor que poderia existir aqui. O perfume acaba criando em segundo plano um acorde floral cremoso que me faz pensar distantemente em sabonete dove e esse aroma meio sabonete e meio açúcar é o que parece segurar a fragrância até o fim na pele.

Se o conceito é fraco é o olfativo é apenas bom a projeção e fixação são ótimas para um perfume EDT. O frasco certamente é um dos mais bonitos da linha e o efeito furta-cor faz com que ele se destaque. O aroma em si poderia ser o de um perfume feminino de qualidade, algo talvez na linha dos lançamentos atuais da natura, e isso é talvez o mais arriscado e chocante que ele tem em si. Um perfume que apesar de não ser ruim não tem nada efetivamente que se destaque e que vale mais pelo frasco e como item de coleção.