29 de mai de 2019

Le Male Essence de Parfum - Avaliação/Resenha/Review


Conceito: 4.5 Olfativo: 4 Técnico: 4 Apresentação: 4.7
Nota Final: 4.2 Nota Faixa: 4.2
Faixa de Preço: 3 - 300 até 600 reais
1-Ruim 2-Regular 3-Bom 4-Ótimo 5-Excelente

Le Male é um daqueles perfumes que tem uma capacidade rara: depois de 2 décadas de existência ele ainda é moderno e não se tornou ultrapassado. Acredito que ajude o fato de quando foi lançado seu aroma fougere era um misto de nostálgico e moderno, uma característica que é bem presente no momento atual da perfumaria. Seu sucesso de vendas é tal que no setor masculino por mais que Jean Paul Gaultier tente criar novas fragrâncias (como Fleur de Male or Kokorico) nenhuma delas consegue se tornar um sucesso de vendas como Le Male, o que tem levado a marca então a uma estratégia de criação de flankers que trazem variações no aroma.

Lançado em 2016, o flanker Essence de Parfum tem o objetivo de trazer um novo toque de sofisticação à criação original e de certa forma ele é bem mais sucedido no objetivo que o flanker Ultramale lançado em 2015 tinha, o de nos 20 anos de comemoração do lançamento do Le Male trazer uma reinterpretação e versão melhorada do Le Male. Esse flanker consegue justamente isso, manter o eixo fougere Lavanda do tradicional e trazê-lo para o presente momento e fazendo uma melhoria ao acrescentar mais complexidade a ideia.

Enquanto o clássico Le Male é uma Lavanda Fougere que fica dividida entre um aroma retrô de barbearia e uma lavanda moderna mergulhada em musks macios e baunilha a versão Essence de Parfum encaixa o eixo fougere da Lavanda do original para um lado mais oriental e especiado, um que trás nuances de canela, coumarina e cardamomo. É intrigante, porém, que o perfume traga um aroma de couro para a saída da composição em vez de colocá-lo como nota de corpo ou de fundo, algo que não é comum.

O Perfume abre com um aroma mais rústico de couro acompanhando de um aroma ambarado seco desses que em geral está presente na maioria dos perfumes modernos e que quando abusado confere performance ao perfume mas tira sua identidade e abafa notas mais delicadas. Aqui, porém, nas proporções utilizadas tanto o cheiro mais rústico do couro como o aroma ambarado ficam nos momentos iniciais e logo abrem espaço para a lavanda. Como ela está num contexto mais orientalizado ela perde parte do aspecto medicinal e frasco e tem seu lado mais adocicado ressaltado e acompanhado por um blend de cardamomo, canela e coumarina.

Essa mistura de especiarias remete de maneira indireta ao Spicebomb, entretanto é uma semelhança que não tira a identidade do Le Male, visto que o perfume vai para seu clássico caminho de musks e nesse momento final o couro ressurge, porém de uma maneira mais discreta, sem o destaque que tem na saída. A última fase da composição poderia ser mais arriscada, trazendo o toque mais animálico do costus, entretanto a marca optou por um caminho mais comercial e seguro.

De maneira geral a versão Essence de Parfum cumpre muito bem o seu propósito de ser uma versão mais sofisticada do Le Male e consegue trazer diferenças o suficiente para se sustentar como algo distinto. De certa forma, ainda estamos no campo da criação original, o aroma de uma barbearia. A diferença é que Essence de Parfum é o ambiente de uma barbearia despojada, dessas que tem mesa de sinuca, cerveja e uma decoração mais estilosa. É um perfume comercial muito bem feito.