30 de set de 2019

Condé Cologne Bleue - Avaliação/Resenha/Review



Conceito: 7
Olfativo: 6,5
Técnico: 8,5
Nota Final: 7,1

Composição Nota:
25% Conceito, 50% Olfativo, 25% Técnico
Preço Oficial: 199 reais 50ml

Categoria: Nicho

De todos os 5 perfumes lançados até hoje pela Condé Cologne Bleue é o que mais se destaca dos outros, porém não de uma maneira positiva. Ainda que num nível mais superficial o perfume esteja relacionado a outros da casa pelo DNA cítrico clássico há algo em Cologne Bleue que dá a impressão de que Fábio Condé fez tal criação por algum tipo de pressão e não por espontaneidade criativa. E assim seu perfume mais comercial da coleção é praticamente um dos patinhos feios - o frasco difere dos demais, a pirâmide olfativa é mais simples e falta até mesmo uma imagem conceitual dos elementos que compõe o perfume. A criação faz parte da família, porém não é tão bem-vinda/bem-vista pelas outras.

A ideia aqui é tentar trazer uma estrutura clássica cologne feita de cítricos naturais para um universo mais comercial e sintético e com a inteção de criar uma sensação sinestésica com a cor azul, puxando essa ideia para um tom de piscina, algo mais ozônico e brilhante do que aquático. Isso até que funciona, porém em alguns momentos o perfume parece exagerar nesse sentido e satura o olfato em aldeídos e em notas metálicas, o que cria uma sensação meio superficial.

Tenta-se equilibrar isso com a parte mais clássica da composição, o lado cítrico floral composto principalmente de neroli e petitgrain, dando um ar floral leve, cítrico, brilhante e um aspecto meio verde e amargo, um que as vezes move o perfume de sua coloração proposta azulada para um tom esverdeado. Infelizmente a base de musks acaba finalizando o perfume de uma maneira simples e que de alguma forma retém um aspecto residual meio amargo dos cítricos e meio artificial/metálico da saída. É como se ficasse um fantasma dos aspectos mais difíceis da composição, ainda que essa tenha sido feita para ser a mais fácil do conjunto.

Em termos de performance Cologne Bleue é satisfatório, mostrando-se mais intenso e fresco na saída porém sem nunca desaparecer da pele na evolução, mesmo que indo para um caminho mais discreto. Ainda que o resultado final não seja ruim é um que eu particularmente não vejo a cara do perfumista como ele se mostra em todos os outros. Cologne Bleue precisava talvez de uma nova roupagem/reformulação que permitisse a Condé conciliar a ideia de uma cologne mais popular/fresca com a sua assinatura olfativa clássica e complexa.