1 de set. de 2019

Gucci Memoire d'Une Odeur - Avaliação/Resenha/Review



Conceito: 9 Olfativo: 8 Técnico: 8,5 Nota Final: 8,3 Composição Nota: 25% Conceito, 50% Olfativo, 25% Técnico Preço Oficial: 120 dólares 100ml Categoria: Comercial A perfumaria da mesma forma que a moda é cíclica e costuma passar por transformações perceptíveis a cada mudança de década. Ainda é cedo para prever o que a década de 2020 - 2030 nos trará entretanto já há alguns indícios no ar do que está para vir. Gucci Memoire d'un Odeur nos dá uma possível pista de um futuro que parece trazer de volta conceitos da década de 90 com uma nova roupagem. Sob a direção criativa de Alessandro Michele a Gucci com Memoire d'une Odeur olha para o passado e para o presente com o objetivo de criar uma fragrância do futuro. De certa maneira a marca mira a criação de um ícone universal da mesma forma que a Calvin Klein propôs na década de 90 com seu Ck One. A diferença é que em vez de conceitualizar como um perfume unissex a marca trás Memoire d'Un Odeur como um perfume universal, um conceito que procura resgatar um aspecto abstrato do aroma como memória mirando até mesmo como uma espécie de memória coletiva: algo familiar porém que não é fácil de ser identificado. Algo que está relacionado a experiência de cada um. Algo que em sua essência não depende de gênero para ser apreciado ou entendido. Confesso que é um conceito difícil de ser avaliado pois envolve justamente um nível de abstração que é fácil de se confundir com algo indistinto, um borrão olfativo em vez de uma memória de fato. É mais desafiador ainda quando se olha que tal perfume é feito numa perfumaria comercial, mais massificada, o que causa a necessidade de um aroma que seja acessível ao público.Mas nas mãos de Alberto Morillas isso é entregue com sucesso. A escolha de Morillas não é a toa, considerando que o próprio esteve envolvido na criação do Ck One. Alessandro Michele dá a tarefa a Morillas de explorar nesse aroma universal a camomila como tema central, o que é uma ideia inteligente considerando que não é uma flor associada nem com perfumes masculinos nem com perfumes femininos e que é um aroma atemporal, conhecido desde os tempos antigos e carregado de um simbolismo poderoso e espiritual. Morillas cria uma espécie de perfume mineral musk ao redor da camomila, trazendo o sândalo para complementar o aspecto espiritual e atemporal da ideia. Confesso que esperava um pouco mais de intensidade da camomila em Memoire d'Un Odeur: ela é perceptível, com sua curiosa combinação de aspectos herbais amargos e um leve quê amendoado e de mel. Talvez para se enquadrar em algo abstrato e universal esse aroma é suavizado e facilmente se mistura com um delicado sândalo que é perceptível desde o começo. Morillas parece criar um acorde de sândalo que utiliza javanol, o que confere um aroma amadeirado perceptível, suave e com discretas nuances cítricas e de rosa. As vezes o sândalo ofusca a camomila e outras vezes ela é perceptível em seu aroma calmante e único. Os musks criam um fundo segunda pele delicado e que é perceptível ao longo da evolução. Como em uma memória, quanto mais o tempo passa mais discreto Gucci Memoire d'un Odeur se torna, mais distante sem sumir de vez. É certamente um perfume que desafia as exigências atuais por fragrâncias que, como nos anos 80, dominavam o espaço olfativo e eram impossíveis de serem notadas. Aqui a proposta parece mais apontar para uma nova década onde a perfumaria mirará em algo simultaneamente pessoal, discreto e universal em sua abordagem.