16 de out. de 2019

Akro Dark - Avaliação/Resenha/Review



Em teoria coleções exclusivas e de nicho de perfumistas renomados e experientes são um sonho de consumo dos apaixonados por perfumes - a chance de ver alguém talentoso e experiente entregar algo criativo, desafiador e muito bem elaborado. Infelizmente muitas vezes elas funcionam mais como um catalizador financeiro do nome que aquele perfumista construiu no mercado e por mais que entreguem bons perfumes não é o que se esperaria de alguém criativo e sem limitações. A coleção proposta por Olivier Cresp nesse sentido surpreende bastante.

Confesso que o que Cresp propõe em sua marca Akro me fez olhá-lo com outros olhos, pois sempre o vi mais como um perfumista bem comercial. A sua marca Akro passa longe da temática surrada dos materiais preciosos e nobres e busca construir um conceito, um que não tem medo de ser obscuro: os vícios e como eles podem ser transmitidos por meio dos aromas. Em Dark Olivier Cresp interpreta seu vício pelo chocolate, em especial o chocolate amargo e em partes entrega o que você esperaria de um perfume de chocolate e em partes surpreende pelo que é entregue.

Se há alguém que é capaz de simular determinados aspectos do perfume Angel e ainda sim trazer algo novo a ideia é o seu próprio criador e é justamente o que vejo em Dark. Cresp parece retornar o aroma de chocolate do Angel, mudando as proporções para que o patchouli e o mel virem atores secundários e o aroma de um cacau bem amargo e negro tome o centro, em um perfume que estabelece uma linha de tensão entre doçura e escuridão. A parte da escuridão é contada por elementos que não são listados na composição, com um aspecto de couro defumado e que remete em partes a oud e em partes a castoreum.

 Há uma presença distante de musks que parecem trabalhar justamente entre o inocente e o animálico e sujo. Se em Angel a temática gourmand e o chocolate é utilizado para resgatar as memórias de infância, em Dark ele mostra que sua inocência pode ser apenas um chamariz para algo mais fetichista e ousado, algo que vicia mesmo sendo desafiador. Supreendentemente muito bom.