18 de out. de 2019

Beso Beach Bendito Beso - Avaliação/Resenha/Review

Tenho a impressão de que lentamente uma nova categoria de perfume está fazendo sua ascensão do universo comercial para o universo de nicho, a dos perfumes aquáticos. Um conceito que ficou saturado na perfumaria comercial devido a seu abuso, os perfumes que tentam capturar a aura relaxada, contemplativa e serena do mar e do oceano começam a ressurgir em projetos de nicho e de perfumaria exclusiva onde há uma proposta de enobrecê-los pela experiência e pela tática da já consolidada estratégia de posicionamento de marketing da nobreza dos materiais envolvidos e distinção da fragrância entregue. É o que é vendido em Bendito Beso.

Entendo que nesse contexto nem era necessário essa abordagem, visto que Beso Beach é um conglomerado de restaurantes luxuosos em áreas tropicais paradisíacas na Espanha, México e Catalunha. Basta uma pesquisa para perceber o ambiente paradisiaco e relaxado que esses restaurantes vendem, sedutores e envolventes como um beijo de fato (beso é beijo em espanhol). O Conceito de capturar momentos agradáveis em uma fragrância e permitir que você reavive memórias por meio do olfato já era em si suficiente para uma experiência de luxo bem pensada. Insistir na nobreza de materiais e distinção das fragrâncias é uma estratégia que faz com que tais produtos soem como mais do mesmo no mercado.

Bendito Beso vende perfeitamente o conceito de uma fragrância aquática almiscarada e utiliza a expertise comercial de Olivier Cresp para vender essa ideia. É curioso que esse seja um perfume de Cresp pois a execução lembra muito as criações de Alberto Morillas, inclusive remetendo a uma variação de uma fragrância conceitual que Morillas fez para capturar a memória de um passeio pela praia, o perfume Beach Walk da Maison Martin Margiella. Bendito Beso é uma variação mais almiscarada e menos floral da mesma ideia que Beach Walk propõe.

Uma das formas que os novos perfumes aquáticos tem utilizado para evitar a saturação comercial da temática é a utilização de variações das moléculas aquáticas que ainda não se tornaram tão comuns assim. Bendito Beso usa o Cascalone para isso, que é uma molécula aquática similar ao calone, porém sem o aspecto que incomoda a muitos. Cascalone possui um aspecto ozonico também e funciona muito bem em um contexto levemente floral, que é utilizado aqui para emular o aroma salino, quente e discretamente sensual dos bronzeadores. Os cítricos e a radiância floral criam uma aura luxuosa e relaxada ao redor disso enquanto a saturação dos musks garante a maciez e a emulação do aroma da pele.

Eu diria que Bendito Beso só perde a chance talvez de trazer um aspecto que de fato fosse distinto, talvez um sutil toque de violetas caso quisessem ir para um caminho mais óbvio dos beijos e do brilho labial. Ou então um aspecto mais amadeirado para combinar com a tampa ou até mesmo um toque mais salino e um leve aspecto gourmand. A experiência de férias paradisíacas e tropicais é muito bem vendida aqui, transpondo uma ideia mais comercial para uma ambientação exclusiva. O que fica devendo é de fato vender o lado mais único e exaltar mais a nobreza dos materiais, visto que os mesmos são empregados em outros perfumes mais acessíveis em preço e com o mesmo efeito.