22 de out. de 2019

Histoires de Parfums This is Not a Blue Bottle 1.4 - Avaliação/Resenha/Review


O avanço da perfumaria de nicho e sua narrativa da excelência dos materiais naturais trouxe uma distorção de pensamento para o consumidor, a de que o nicho se destaca pelo uso de matérias-primas naturais, o que leva muitas pessoas a (erroneamente) dizer que perfume X ou perfume Y é superior ou inferior por ser mais natural ou ser mais sintético. O fato é que a perfumaria contemporânea desenvolvida a partir de 1900 em diante utiliza-se dos dois universos para ser criativa e interessante. E na nova dupla da linha This Is Not A Blue Bottle é justamente essa dicotomia que é explorada.

Os integrantes 1.4 e 1.5 em vez de verem sintético e natural como forças opostas fazem um paralelo interessante e bem tradicional, o de energias Yin e Yang que se combinam e se completam. Ainda que possam existir bem separadamente é justamente no equilíbrio e harmonia de ambas que vive uma beleza única - e é uma maneira muitíssimo distinta de propor uma dupla de fragrâncias que podem ser utilizadas de maneira combinada para que se obtenha uma nova fragrância diferente.

Para fins didáticos e de entendimento, avalio cada uma delas em separado. A edição 1.4 representa e energia Yin, que é vista como sombria, negra, feminina, de transformação, antiga, macia, entre outras coisas. O Azul que representa a linha é uma maneira intelligente de reprentar a energia Yin e a utilização de formas fluídas que complementam com a edição 1.5 já dá um indício de que ambos funcionam como duas faces da mesma moeda. O integrante 1.4 representa a perfumaria natural, que é de fato antiga, primitiva, bruta e negra em sua essência.

É interessante ver um projeto 100% natural de uma marca que não seja artesanal, e que assim tem um acesso com preço melhor a bons materiais naturais. De fato na pele 1.4 se comporta como um perfume natural, possuindo até mesmo a aura hippie/alternativa de um: seu aroma é intenso e carregado em resinas naturais, com um aroma doce, atalcado e quente que se mistura a um aroma especiado bem denso, quente e seco. Ao mesmo tempo há um aroma meio cítrico e amargo e um aroma floral quente e com nuances aromáticas.

De maneira geral, o cheiro de 1.4 me remete ao de um pomander, talvez pela natureza quente, especiada e natural da ideia. Como um perfume natural, a ideia suaviza depois de algumas horas e se torna mais rente a pele ainda que permaneça nela. É um perfume que serve bem para representar de uma maneira mais polida e industrial o que é uma perfumaria de fato natural - algo que pode surpreende a muitos em sua visão romantizada de um perfume natural.