4 de out de 2019

Natura Luna Radiante e Luna Rubi - Avaliação/Resenha/Review


Luna Radiante

Conceito: 9
Olfativo: 8,5
Performance: 8
Nota Final: 8.5

Luna Rubi
Conceito: 8
Olfativo: 8
Performance: 8,25
Nota Final: 8.4

Composição Nota:
25% Conceito, 50% Olfativo, 25% Técnico
Preço Oficial: Luna Rubi 139,90 reais 100ml
Luna Radiante 129,90 reais 50ml

Categoria: Nacional

Completando 5 anos de existência o perfume Luna certamente foi um dos maiores acertos da Natura nos últimos anos, introduzindo dentro do seu catálogo de opções um chypre moderno comercial, bem composto e fácil de ser usado. Tornou-se um de seus mais vendidos e iniciou uma série de variações ao redor da sua estrutura básica: Rosé, que acrescentou um aspecto mais retrô a composição; Floral, que trouxe a ideia da flor de mel para a estrutura chypre moderna de Luna e; Intenso, que criou um novo ramo na linha ao oferecer um novo frasco, uma concentração deo parfum e uma versão bem mais intensa, sensual e complexa da fragrância.

Esse ano a marca continuou a honrar o legado da linha Luna mas trazendo para a ideia do perfume mais materiais da biodiversidade brasileira. Isso foi feito sem perder a delicadeza e luminosidade da ideia chypre moderna do Luna e levou o perfume em direções que ainda que continuem bem comerciais são bem trabalhadas no que se propõe. Luna Radiante mantém-se na linha menos concentrada e explora a fragrância de Luna sob a perspectiva da luminosidade de um põr do sol. Já Luna Rubi trás a conceito da sensualidade da cor vermelha associado a preciosidade da pedra preciosa rubi, propondo uma aura mais vermelha e sensual para o aroma de Luna.

Dos 2 Lançamentos diria que Luna Radiante é o que se destaca ligeiramente em relação ao Luna Rubi. Seu aroma de fato transmite bem a ideia de um chypre luminoso, trazendo um aroma que consegue equilibrar um floral mais adocicado e um cheiro cítrico sofisticado em sua saída. A doçura floral do Radiante me faz pensar em um aroma de mel, inclusive passando de maneira mais clara o cheiro de flor de mel que o próprio Luna Floral. Há um leve aspecto atalcado criando um aspecto sofisticado e a base chypre mantém parte da doçura floral e encaixa bem o aspecto terroso da priprioca, sem que ela tire a identidade do original. Para uma deo colônia a versão Radiante tem um aroma mais intenso na saída e depois parece que torna-se mais suave conforme o tempo passa.

Luna Rubi decepciona um pouco na forma como executa seu conceito de sedução, talvez por criar grandes expectativas de algo bem sensual e com um aroma mais amendoado e de canela. Porém, seu perfume parece crescer a cada uso, encaixando um belo aroma frutado vermelho suculento com um toque frutado ardido da pimenta rosa. Isso certamente dá uma aura sensual a fragrância, porém uma que remete mais a um aroma rosado do que vermelho de fato. A parte da canela e amêndoas é bem discreta na pele e a base chypre do Luna original parece modificada para que o aspecto de patchouli e a doçura sejam diminuidas e o lado mais amadeirado cresça sem tornar a fragrância muito seca ou parecer um aroma amadeirado masculino. De certa maneira a versão Rubi é um exercício de encaixar num chypre moderno uma estrutura amadeirada spicy sem que isso assuste a consumidora da Natura. O resultado é bom, mas poderia ser um pouco mais ousado ou até mesmo mais intenso, dado que passado as primeiras horas o perfume torna-se mais rente a pele do que se esperaria de um deo parfum.