28 de out. de 2019

Olfactive Studio Chypre Shot - Avaliação/Resenha/Review



Eu vejo que a Sépia Collection da Olfactive Studio acaba cumprindo dois propósitos para o público consumidor. Um deles está relacionado ao aspecto nostálgico e bem executado da coleção, que parece falar ao consumidor que sente falta da perfumaria do passado e de sua dinâmica e riqueza olfativa. Ao mesmo tempo, eu vejo que há um certo aspecto didático na coleção também, pois há uma preocupação em contextualizar essas ideias e dinâmicas clássicas em algo com ares vintage porém claramente presente na realidade. Se Leather Shot já parecia indicar isso com seu aroma que remete aos orientais da década de 90, Chypre Shot volta mais anos no tempo e foca em no estilo chypre desenvolvido na década de 40.

Novamente me pego pensando na dinâmica de um clássico na perfumaria, como se aqui Duchaufour também estivesse homenageando o clássico Femme de Rochas e sua estrutura chypre que trazia o aroma terroso e de musgo para um contraste com um aspecto suculento de ameixas e um aroma floral quente, discreamente powdery e narcótico. Chypre Shot talvez faça essa referência indiretamente relacionado a versão da década de 80 do perfume Femme, conhecida por ser mais animálica com uma presença maior de cominho.

A forma como Chypre Shot moderniza isso é trazendo um aura discretamente gourmand e suculenta, acrescentando nuances torradas de café e trocando o aroma animálico do cominho para algo mais sutil, talvez indiretamente sugerido com a utilização de musks. O perfume trás o aroma do musgo de maneira mais evidente e imediata, trazendo uma terrosidade que é envolta em um aroma suculento e discretamente doce. Apesar de não existir nenhuma nota frutada listada, a composição parece apontar nessa direção de alguma forma. E conforme se direciona para a base o perfume vai perdendo seu aspecto chypre mais terroso e se torna um pouco mais oriental, ambarado, porém de uma maneira mais discreta.

Da mesma forma que Leather Shot, Chypre Shot é um perfume clássico que ainda que seja marcante e distinto não é complicado a ponto de parecer reservado apenas a determinadas épocas do ano. É uma maneira bem executada de trazer um clássico e tentar agradar a dois públicos bem distintos em conhecimento olfativo. Vale a pena para quem não conhece nada de perfumaria clássica e para quem conhece e sente saudades dela.