29 de out. de 2019

Robert Graham Fortitude - Avaliação/Resenha/Review


Eu diria que a trilogia proposta pelo designer de luxo Robert Graham exemplifica bem um conceito comum entre os grupos de perfumes atuais, o de um perfume designer com "qualidade" de nicho.  Uma loja de roupa masculina de luxo, Robert Graham propôs em 2016 uma trilogia de perfumes masculinos que possuem um conceito em comum, a inspiração em  virtudes que poderiam ser associadas ao universo masculino. Para reforçar a ideia de algo sofisticado e especial os perfumes foram oferecidos em edições de 250ml e 100ml, com as de 250ml moldadas como se fossem decantadores de bebidas alcóolicas, com adornos especiais na tampa em si. 

Os detalhes mostram uma construção cuidadosa e meticulosa, algo com um foco específico em vez de ser voltado para a massa. Isso certamente passa a impressão de características de nicho, porém quando se observa preço e posicionamento é possível perceber que são claramente perfumes comerciais luxuosos, um projeto bem executado conceitualmente e visualmente. E a construção da fragrância em si também não decepciona e oferece algo luxuoso e elaborado.

Fortitude livremente traduzido significaria uma virtude relacionada a força moral, fortaleza de espírito diante da adversidade. Um perfume relacionado a uma virtude dessas certamente não poderia ser algo leve e o aroma não decepciona nesse sentido, oferecendo algo sofisticado e que gira ao redor da fava tonka, tabaco, couro, patchouli e nuances animálicas. Ainda que a pirâmide seja simples Fortitude parece ser mais complexo e vai lentamente evoluindo sua aura. Primeiro começa com um aroma amendoado mais fresco e um aroma distante de couro que remete a algo sutilmente animálico. Conforme evolui o patchouli vai se revelando acompanhado do que parece ser um blend talvez de musk, sândalo e outras nuances amadeiradas. O aroma da tonka evolui para algo mais amendoado e doce e leva o perfume nessa direção mais oriental adocicada, algo de tabaco flavorizado para cachimbo.

Comparações são feitas entre Fortitude e outros perfumes, dos quais o que ele parece ter algo em comum é com o Bvlgari In Black, principalmente pelos acordes similares de couro, tabaco e tonka. Ao mesmo tempo, a presença indireta de sândalo adocicado com o patchouli me faz pensar em partes do Arsene Lupin Voyou e algo do couro levemente animálico também remete a um dos Elements of Man de Ermenegildo Zegna. Os aspectos combinados, porém, produzem um perfume distinto ainda que familiar e com um excelente preço quando se considera conceito, apresentação e aroma construído. Um bom projeto sofisticado de perfumaria comercial luxuosa.