26 de nov. de 2019

Amberfig Fig & Mint - Avaliação/Resenha/Review



A comemoração dos 5 anos de formação da Amberfig com a coleção de colognes foi levada muito a sério pelo perfumista indie David Magalhães. Muitas vezes a criação de colognes ou EDCs cai em um lugar comum de frescor cítrico e base de musk, mas na linha limitada desenvolvida para esse aniversário a utilização de tais elementos serve mais com o propósito criativo de explorar o frescor de maneira complexa, livre e luxuosa. Os temas podem até ser conhecidos do público, mas as interpretações surpreendem pelos aspectos inusitados e pelas surpresas que os perfumes escondem.

Um dos que tem se destacado em teor de vendas de acordo com a marca é o Fig & Mint, certamente pela paixão que muitos possuem por perfumes com o aroma de figo. Esperava aqui uma composição que seria talvez um figo frutado e suculento adaptado para um aroma mais cítrico e fresco, mas fui surpreso pela explosão herbal que o perfume evidencia na pele, pela ligação sutil com o Passion Fruit & Neroli e até mesmo pela homenagem (não intencional, segundo o perfumista) ao perfume Amberfig (que foi vendido nas concentrações EDT, EDP e Extrato).

Fig & Mint utiliza os dois elementos que dão nome a composição em uma mesma intensidade, criando algo que pode ser visto como uma menta bem herbal e refrescante com zero de doçura ou como um figo verde cujo o aspecto aveludado de seu fruto e o aroma de sua folha é capturado na composição. Fig & Mint oferece mais que um aroma fresco, ele gela a pele com o seu aroma herbal intenso. Esse evolui para algo que remete a capim recém cortado, devido a utilização do gálbano, e que depois evolui para algo ligeiramente terroso e sujo, remetendo a mesma nuance de iris presente no Passion Fruit & Neroli.

Mais complexo do que se esperaria de uma cologne e durando mais do que uma na pele depois de umas 3 horas o perfume evolui para uma combinação de musgo, madeiras, musks e uma leve cremosidade adocicada e o conjunto desses elementos imediatamente me remete ao perfume que levou o nome da marca. É como se David tivesse feito uma versão EDC e bem verde do Amberfig. Aliás, a concentração poderia tranquilamente ser EDT pois os perfumes não somem tão rápido na pele ainda que sejam mais leves e adequados ao calor. É outra grata surpresa dentro da nova coleção da marca.