4 de nov. de 2019

Escentric 01 Molecule 01 - Escentric Molecules - Avaliação/Resenha/Review



Ainda que Geza Schoen não tenha sido o primeiro a lançar um perfume molecular (esse mérito é de Helmut Lang Velvione) o perfumista foi o pioneiro em criar uma marca que girasse ao redor desse conceito, uma perfumaria que poderia ser vista tanto como uma meta-perfumaria ou até mesmo como uma anti-perfumaria ao fugir de conceitos clássicos, explicações luxuosas, nomes pomposos e frascos extravagantes. E tudo isso começou com um dos materiais que lentamente definiram a perfumaria do jeito que conhecemos: o famoso Iso E Super.

Descoberto durante a década de 70 em pesquisas de laboratório que pesquisavam novos ingredientes derivados de estruturas similares a da ionona, Iso E Super a princípio foi utilizado apenas em perfumaria funcional, em detergentes. O primeiro perfume a utilizá-lo oficialmente seria Halston Woman de 1975 e o primeiro perfume a utilizá-lo significativamente seria a obra-prima da Dior, o perfume Fahreheit, lançado em 1988 e contendo 25% de Iso E Super. Na década de 90 o material passaria a ser um dos pilares dos sucessos de vendas da perfumista Sophia Grosjman (Trêsor, por exemplo, possui 18% do material) e em 1992 ele seria um dos principais componentes do que seria definido como o primeiro perfume amadeirado feminino - Shiseido Feminite du Bois, contendo 43% de Iso E Super. Na perfumaria masculina, o clássico Declaration de Ellena, lançado em 1998, teria 35% do material e uma estrutura similar seria trabalhada novamente pelo perfumista para o clássico de outra marca, o perfume Terre d'Hermés, lançado em 2006 e contendo 55% de Iso E Super. 2 anos antes o perfumista chegara a um nível recorde de concentração do material ao criar o Hermessence Poivre Smarcande, cuja a fórmula final seria composta de 71% do material.

Olhando esse avanço progressivo da dominação do Iso E Super na perfumaria comercial e de nicho permite que seja possível perceber a criação de Molecule 01 e Escentric 01 em 2005 como uma espécie de evolução natural de um aroma que se tornou uma espécie de musk moderno da perfumaria: começou a sua vida de maneira funcional e lentamente se tornou ubíquo a ponto de virar um aroma pessoal, amado e reconhecido mas capaz de manter seu caráter enigmático. Apenas faltava a ousadia para que alguém o lançasse de maneira pura e diluída para que as pessoas começassem a explorá-lo como o limite do minimalismo na perfumaria, uma atualização do conceito de fragrância segunda pele/casulo que se tornou popular na década de 90.

Molecule 01 é composto 100% de Iso E Super, de uma variadade de material conhecida como Iso Gamma Super, uma molécula cativa da IFF que possui em maior concentração a molécula que realmente dá o aroma desejado e sentido pelas pessoas. Dessa maneira, não é possível replicar 100% a intensidade e as nuances de Molecule 01 utilizando materiais disponíveis para compra a perfumistas amadores. Iso E Super é descrito como uma molécula aveludada, amadeirada, ambarada, com nuances de cedro, vetiver e patchouli e uma capaz de completar e harmonizar composições. É também conhecida por seu potencial de causar anosmia ao olfato de uma parcela da população, que simplesmente não consegue registrar seu aroma.

Além de tudo que é mencionado acima, Molecule 01 também satura o olfato de muitos, de maneira que você sente seu agradável e abstrato cheiro, deixa de registrá-lo e então passa a sentí-lo em ondas emanando da pele. Para mim seu cheiro parece de certa forma constante, não sei se pelo hábito de prestar atenção aos perfumes que uso ou por uma sensibilidade maior à molécula. O que percebo é que seu cheiro vai lentamente crescendo e suas nuances vão se revelando. A princípio algo mais aveludado e com uma aspereza sutil se mostra, referenciando o lado mais ambarado. Aos poucos então o cheiro vai crescendo, o que é esperado para uma molécula que se comporta como nota de base, e vai revelando seu aroma mais amadeirado seco e que fica entre o cheiro de cedro, patchouli e principalmente de vetiver. Para muitos inclusive o Iso E Super é a referência conhecida como o cheiro de vetiver e seu aspecto aveludado certamente pode ser visto para muitos como natural (o que não deixa de ser irônico dado que é uma moléula sintética).

Escentric 01 é feito para evitar que o aroma do Iso E Super cegue o olfato e a pessoa se sinta sem perfume. Geza o compõe exaltando o a caráter ambarado da composição, utilizando uma quantia de 65 % de Iso E Super em combinação com ingredientes balsâmicos, incenso e mastic. Iononas são trazidas para fazer o papel da iris e junto com musk, pimenta rosa e limão complementam a ideia do perfume. Escentric 01 parece ficar no meio do caminho entre o incenso moderno e abstrato da linha Comme des Garcons Incense (onde Kyoto e Jailsamer possuem, respectivamente, 55 e 51% de Iso e Super) e em uma modernização da assinatura olfativa desenvolvida pela perfumista Sophia Grosjman, sem o aspecto atalcado e doce. Curiosamente sinto Escentric 01 de maneira menos intensa que Molecule 01 na pele, comportando-se justamente de maneira oposta ao esperado, porém condizente com o caráter único que tem o olfato de cada um de nós.Tanto Escentric 01 como Molecule 01 são composições que funcionam muito bem para fazer layering e as possibilidades são praticamente infinitas - para suavizar perfumes ambarados pesados, para fixar cítricos e colônias, para dar radiância a florais e perfumes de iris, para combinar com criações amadeiradas. Além de uma experiência divertida, é um exercício didático para quem deseja entender um material por trás de perfumes tão amados como Terre d'Hermes, Encre Noire e Abercrombie Fierce.