4 de nov. de 2019

In The Box Omnia IV - Avaliação/Resenha/Review


Conceito: 9
Olfativo: 9
Técnico: 10
Nota Final: 9,2

Composição Nota:
25% Conceito, 50% Olfativo, 25% Técnico
Preço Oficial: 134,90 reais 50ml

Categoria: Comercial

Desde que tive a chance de conhecer o criador da In The Box pude perceber que havia grande paixão e grandes intenções para a perfumaria que Fellipe Russo pretendia fazer. Os contratipos eram apenas parte de um projeto mais complexo que em sua essência visa trazer ao consumidor brasileiro uma perfumaria de qualidade, performance e excelência. Isso começou a princípio com contratipos, para atender uma grande demanda do mercado e criar o público da marca. Agora a In The Box começa a levar esse público por uma jornada mais arriscada com a criação da coleção Match of Senses.

Eu diria que há uma ideia ousada aqui, pois Fellipe pretende criar para um público mais comercial uma coleção com uma proposta mais criativa e conceitual, uma que busca trazer uma viagem olfativa que ao longo dos lançamentos irá se tornar mais desafiadora. Para um público que sempre espera similaridades essa linha propõe criar algo que ainda que tenha algo familiar se mostra distinto, apelando para uma sinestesia de aroma, cores e texturas. Isso aliado ainda por cima a uma preocupação com performance e custo acessível aumenta consideravalmente a complexidade do projeto. Mas o resultado final entrega e muito.

O que eu sinto que fica um pouco a desejar nos primeiros 4 integrantes da coleção é uma dificuldade em relacionar o nome que é proposto com a inspiração sinestésica que procura aliar aromas a cores. O que Omnia IV tem a ver com um aroma amadeirado especiado e com a cor marrom? Isso não está claro e a marca não te entrega nada que permita concluir isso. O que é possível a inferir é uma ideia de que Omnia tenta abraçar o significado em latim da palavra e abranger todas as nuances olfativas de um oriental, em especial do espectro especiado da ideia. Omnia IV abraça o aroma quente, frio, fresco, incensado e doce das especiarias e constrói um aroma de alta performance ao redor disso.

Há uma tensão entre quente e frio que parece nunca abandonar o aroma de Omnia IV e sua forma olfativa por algum motivo me faz pensar em uma criação que poderia ser da MontBlanc se a marca resolvesse entregar perfumes mais potentes e encorpados. Das especiarias, Omnia IV parece por mais destaque no cardamomo, ressaltando seu lado mais aromático, que o liga indiretamente a lavanda, e sua nuance mais mentolada e fresca. Um aroma amadeirado mais seco permanece de fundo e cria uma nuance mais seca e que parece interpretar o aroma mais marrom do frasco. O cardamomo acaba funciona como o que cria o degradê/luminosidade que está presente no frasco.

Como Omnia IV parece entregar muito é difícil decifrar os detalhes ou garantir que todos irão perceber o perfume da mesma maneira. Há um aroma adocicado e incensado distante, toques secos de pimenta, toques herbais verdes, um aroma amadeirado mais terroso e um lado mais segunda pele e levemente salgado até. Essas são possibilidades a serem sentidas e as vezes essa virtude pode se mostrar um vício também, pois Omnia IV pode parecer meio sem direção em alguns momentos ao tentar embarcar muita coisa num projeto só. Uma coisa é certa, seu cheiro nunca é decepcionante e realmente parece te levar numa viagem dos sentidos, uma que tem uma excelente performance, com fixação e projeção excelentes.