16 de nov. de 2019

Penhaligon's Cairo - Avaliação/Resenha/Review


Parte da coleção mais extravagante e inspirada em rotas comercias antigas, Cairo é um perfume inteligente em explorar tendências que ainda continuam bem comerciais, porém contando uma narrativa bem elaborada. É raro um perfume que reflita em seu aroma tão bem o que é divulgado nas notas para a imprensa, mas Cairo é um bom retrato do que é contado.

O perfume é um exercício de construção de um perfume oriental árabe com nuances gourmands, um que utiliza a construção de agarwood, rosa e açafrão. A estrela da composição é a rosa de damasco, que soa suculenta, alcoólica e especiado exatamente como uma rosa que teria macerado em especiarias e madeiras.

A temática do incenso e açafrão de fato ecoa ao redor da rosa e aos poucos vai se tornando mais evidente. Junto dela vem um oud mais terroso e até meio verde, como se lembrasse aroma de papiro. Surge um toque inusitado de baunilha e caramelo, que acrescenta um aspecto sensual e adocicado sem tornar o perfume enjoativo. E conforme prometido, na base o patchouli predomina e junto com o labdanum chega quase a criar uma base chypre moderna a composição, porém ressaltando nessa última faze o aspecto de bebida trabalhado na rosa. De maneira geral um perfume muito coerente, agradável, exótico e bem executado.