31 de dez. de 2019

Fort & Manle Süleyman Le Magnifique - Avaliação/Resenha/Review


Os perfumes de Rasei Fort não surpreendem por aspectos técnicos de projeção e fixação na pele. Não são perfumes pensados para tentar atrair ou trazer os consumidores do mercado de massa e comercial para a perfumaria independente e de nicho. Rasei Fort parece mais preocupado em criar aromas que utilizam a complexidade dos naturais com uma certa sutileza que exige bastante conhecimento e testes com os mesmos. E em perfumes como Süleyman Le Magnifique esse propósito é atingido com perfeição.

Rasei utiliza os aromas aqui para contar a história do Império Bizantino e um de seus monarcas, o Sultão que dá nome ao perfume e que reinou por 46 anos. Pelo que se conhece historicamente Suleiman foi um homem até certo ponto contraditório: implacável, mas que criava leis que procuravam trazer justiça ao povo. Um homem de guerra, conquistador, mas ainda sim um homem que viveu um intenso amor com uma de suas esposas. E o que Rasei tenta aqui é justamente trazer essa dualidade do sultão e o estilo rico e adornado do Império Bizantino.

Süleyman poderia ser um perfume pesado de agarwood, ambar e resinas, entretanto procura justamente trazer um aspecto mais romântico à ideia. O perfume trás o aspecto animálico de agarwood e ambergris com um aroma quente e adocicado que mistura mel, canela e maça. É provável que o mel venha mais do aroma das rosas, que estão presentes na pirâmide mas não dão um aroma floral a ela. O perfume parece mais uma sucessão de notas de base: depois que passam o agarwood e a canela vem o aspecto quente de benjoim e ambar, depois um aroma mais amadeirado e seco de vetiver e por fim uma base que combina o aroma terroso de patchouli com o cheiro de lascas de madeira do sândalo.

Nas 4 primeiras horas o perfume é bem quente e marcante na pele e conforme vai passando o dia o lado mais discreto e gentil da fragrância se revela, durando até o final do dia. A forma com que o perfume se comporta na pele além de ser condizente com uma perfumaria mais natural reflete muito bem a dualidade do personagem que o inspira.