31 de dez. de 2019

Serge Lutens Participe Passé - Avaliação/Resenha/Review


Conceito: 5
Olfativo 4.5
Técnico: 4.5
Nota Final: 4.75

Composição Nota:
25% Técnico, 25% Conceito, 50% Olfativo
Preço Oficial:
150 Dólares 50ml, 230 dólares 100ml
Categoria: Nicho

1-Ruim 2-Regular 3-Bom 4-Ótimo 5-Excelente

Se no início da década de 90 Serge Lutens pôde desenvolver a marca que leva seu nome no ritmo e com o grau artístico que ele desejava os tempos atuais são outros e lhe exigiram novas estratégias para continuidade de seu negócio e visão artística. O ano de 2017 foi o início de uma nova estratégia de reposicionar a marca em várias frentes de nicho, mantendo uma coleção mais enxuta para distribuição (Collection Noire), criando uma coleção mais exclusiva também para distribuição (Gratte Ciel) e migrando os perfumes que vendiam menos para venda online e disponibilidade em Paris (os exclusivos).Nesse novo formato Participe Passé é o primeiro perfume a ser lançado dentro da Collection Noire e certamente é uma escolha curiosa para isso.

Participe Passé é Serge Lutens em sua essência, como se nada tivesse acontecido nos últimos anos com a marca. É difícil saber se o criado aqui está sendo Irônico ou saudosista, pois como sempre seus conceitos são crípticos e não dão sua interpretação de maneira direta. Ainda sim, de todos os conceitos misteriosos da marca é um dos mais fáceis de se encontrar uma explicação. Segundo a própria marca "Momnetos passados que surgem no presente possuem muitos aromas. Eu interpretei os que melhor evocam o passado". Nesse caso, Lutens refere-se tanto ao passado da perfumaria em si como ao seu próprio passado.

E aí que entre o aspecto curioso de Le Participe Passé, pois apesar de estar na Collection Noire é um perfume que facilmente se encaixaria na coleção exclusiva: é polarizante, desafiador, pesado e para os menos acostumados com Lutens ou com a marca ele te exige que você tenha paciência para decifrá-lo. Há certamente uma aura primitiva de perfumaria aqui, como se seu aroma invocasse mais um bálsamo a ser utilizado em um ritual religioso do que um perfume comercial moderno. É uma aura resinosa e pesada e que retoma um aspecto que Lutens não deixava mais evidente em seus perfumes a alguns anos, a ligação com outras criações da marca. Participe Passé cria um elo forte com Fille En Aiguilles, um mais moderado com Ambre Sultan e um mais sutil com Arabie.

De Fille en Aiguilles o perfume herda principalmente a aura incensada seca e até mesmo esfumaçada do abeto balsâmico, resgatando uma certa aura de galhos secos que Fille En Aiguilles possuia. Do Ambre Sultan temos uma aura ambarada e resinosa, algo que remete a ládano porém que diferente do Ambre Sultan nunca se torna mais doce em sua evolução, mantendo um certo aspecto esfumaçado seco. Há talvez um leve toque gourmand mais moderno aqui, algo que discretamente remete a caramelo e leite, porém é necessário focar o olfato para que seja possível perceber isso. E é nesse momento que você observa a ligação frutada sutil com outro clássico da marca, Arabie.

De maneira geral, Participe Passé cumpre muito bem tanto o propósito de criar um perfume que reflita tanto a perfumaria em sua essência como o legado de Serge Lutens. Performance e projeção nunca foram problemas nos clássicos da marca e também não são aqui, mas como a muitos de seus perfumes mais artísticos não é uma criação fácil de ser usada de maneira recorrente. Que Participe Passé tenha sido lançado para um público mais amplo é talvez uma forma de Serge Lutens dizer que ainda está no controle da sua marca, mas certamente o futuro de tal fragrância é integrar a coleção mais exclusiva pois não é o tipo de produto que irá vender fácil.