20 de dez. de 2019

Thera Cosméticos Kelvin e In The Box Nerol del Porto - Avaliação Contratipos (Tom Ford Neroli Portofino)


Quando se trata do mercado de contratipos e inspirações é interessante ser capaz de sentir a mesma referência olfativa de diferentes marcas. Por mais que possa parecer uma simples receita de bolo de certa forma o processo de produção de contratipos e similares ainda é uma engenharia reversa, onde o responsável pelo projeto em parceria com o perfumista precisará adaptar materiais que não estão disponíveis, mudanças na concentração da fórmula e até mesmo os objetivos que se deseja atingir com aquela inspiração. Kelvin da Thera Cosméticos e Nerol Del Porto da In The Box são didáticos nesse sentido de como é possível partir de uma mesma referência e com projetos distintos chegar no mesmo lugar por caminhos com detalhes diferentes.

Um dos perfumes que ao longo dos anos foi crescendo a busca e curiosidade entre os consumidores é a criação Neroli Portofino de Tom Ford cuja a marca Private Blend fica na fronteira entre uma perfumaria de nicho e uma perfumaria comercial mais seletiva/exclusiva. Neroli Portofino foi o responsável, de certa forma, por trazer de volta o glamour e luxo das colognes clássicas ao mesmo tempo que seu aroma não tem o aspecto cítrico antiquado de alguns membros dessa família. É difícil saber o quanto custa a fórmula de Neroli Portofino mas com certeza sua composição necessita de ajustes para ser adaptado para um orçamento mais acessível e sem perder a identidade. Eu diria que Nem Nerol Del Porto nem Kelvin são reproduções literais dele - até porque isso poderia ser plágio e gerar processo. Porém ambas com suas diferenças fazem um bom trabalho de reproduzir a ideia de uma cologne limpa e de luxo.

Com Kelvin a Thera Cosméticos parece que deseja compensar o aumento de concentração da formulação e eventuais materiais não disponíveis aumentando a complexidade do acorde. Se por um lado isso entrega um perfume mais interessante por outro prejudica a legibilidade inicial da semelhança com Neroli Portofino. Kelvin começa com um aroma cítrico com um ar mais amargo e à moda antiga, que me remete mais a um Acqua di Parma do que Neroli Portofino. Há um rápido frescor moderno de lavanda e depois o perfume avança para a estrela da composição, o neroli, só que a princípio mostrando mais um lado aquático e que remete ao aspecto floral de laranjeira. Entretanto passado os momentos iniciais quando chega na Base Kelvin finalmente mostra o lado mais clean e aromático do neroli e o envolve em uma boa base de musks que parecem resistir até mesmo ao banho.

Nerol Del Porto da In The Box tem uma preocupação diferente da Thera Cosméticos ao focar em chegar o mais próximo possível da abertura do Neroli Portofino, capturando com uma boa precisão o frescor cítrico mais delicado, luminoso e fresco que caracteriza seu ponto de inspiração. Eu percebo que de fundo o perfumista parece que quis dar um ar mais sensual pois há um certo aspecto amargo e floral escondido no acorde de neroli e que remete a sensual laranjeira do Fleur de Male. Esse é um detalhe mais de complexidade do que de identidade, que rapidamente sai de cena para manter o máximo possível a impressão inicial do perfume na pele. A base de Nerol Del Porto me parece um pouco mais direta também e o musk utilizado aqui me parece mais discreto que o existente em Kelvin (percepção que irá variar de nariz para nariz, dado que musks são sentidos de maneira diferente por cada pessoa).

Chega a ser difícil escolher qual deles é o melhor visto que um acerta nos pontos onde o outro fica a "dever". A minha impressão é que ambos são complementares e será divertido achar uma proporção onde com os dois combinados eu chegue em algo igual ou até melhor que o Neroli Portofino. E por mais que as reproduções não sejam 100% fidedignas a qualidade do que é feita em ambos é ímpar, percebe-se uma harmonia e riqueza de detalhes digna de perfume importado. São perfumes que tem seu mérito independente das inspirações que os originam.