27 de jan. de 2020

Guerlain Elixir Charnel Floral Romantique - Avaliação/Resenha/Review



Além da tensão entre perfumaria artísticaXperfumaria comercial refinada outro desafio que a perfumaria de nicho e exclusiva enfrenta é vender e expandir para o público feminino. E não digo aqui do público apaixonado por perfumes, qualquer marca que dependa apenas desse público somente não irá crescer facilmente. Falo do público geral mesmo, que possa estar disposto a pagar mais por um perfume mas não é especialista ou tão intenso no assunto.

Vender perfume de nicho ou exclusivo para o público feminino é complicado pois não basta apenas a narrativa técnica e conceitual, é necessário os elementos visuais também. No caso da Guerlain a aposta da marca para esse público feminino em especial é a linha Elixir Charnel, onde a simplicidade dos frascos é contornada por rótulos mais femininos e cores mais chamativas. A isso associa-se perfumes que não sejam nem muito maduros nem muito juvenis. Caso de Floral Romantique.

Criado em 2011 pelo perfumista Thierry Wasser, Floral Romantique vende a narrativa de um floral delicado, radiante e sensual, o que se encaixa bem em seu aroma. Poderia ser um perfume feminino comercial, mas é a complexidade de seu acorde floral fresco que o torna um pouco mais seletivo e exclusivo.

Passado as nuances cítricas e verdes da saída, Floral Romantique me faz pensar em algo tropical e paradisíaco, um mix de jasmim, laranjeira, tiaré e leves toques de cravo, um blend de flores que projetam uma aura de fim de tarde a beira da praia, em um por do sol em alguma praia paradisíaca. A base é simples, musks e tons ambarados e amadeirados que sustentam a estrela da composição, que é o corpo floral. Não chega a ser muito distante do que a marca entrega em seu perfume Terracotta, mas aqui ela joga com nuances muito sutis e códigos que beiram o clichê e o brega para conquistar um público que não é fácil de conquistar.