24 de jan. de 2020

Natura Essencial Supreme Feminino - Avaliação/Resenha/Review


É interessante observar como em termos de execução conceitual há praticamente um comportamente Yin e Yang dentro da dupla Essencial Supreme. Enquanto a versão masculina aborda de uma maneira muito superficial, segura e decepcionante o conceito proposto a versão feminina surpreende entregando um perfume que dentro da perfumaria comercial atual soa bem ousado, um floral branco sensual, narcótico e que é capaz de aliar algo mais gourmand e contemporâneo com um toque mais clássico e retrô. Aqui de fato há uma homenagem a perfumaria francesa clássica e uma união da diversidade brasileira com a perfumaria francesa.

O Conceito do perfume essencial feminino promete o encontro da sensualidade da canela ishpink com a intensidade da flor ylang e em vez de apenas criar um conceito ao redor disso e entregar um floral docinho e seguro a Natura surpreende explorando o ylang ylang em toda a sua sensualidade: é possível perceber as nuances frutadas da flor, seu aroma floral branco que é muito utilizado para compor acordes de jasmim e até mesmo é possível perceber aqui as nuances mais verdes e canforadas do ylang, que nem sempre são ressaltadas. Há uma boa dose de ylang natural e de qualidade aqui e que dá uma aura nobre e pouco vista na perfumaria nacional feminina.

Essa porém não é a única surpresa do perfume Essencial Supreme, pois sua fragrância também arranja uma maneira de homenagear perfumes florais atalcados clássicos ao mesmo tempo que dá um toque gourmand discreto a ideia. A presença da rosa, iris, violeta e de uma base oriental que combina baunilha, mirra, patchouli e sândalo acaba criando uma agradável semelhança distante com o sensual e marcante perfume Insolence da Guerlain. Essencial Supreme emula o aspecto powdery gourmand do mesmo de uma maneira mais direta e condizente com a realidade do nosso clima. Com isso, o perfume se torna marcante e presente porém sem incomodar os outros e sem se tornar sufocante.

Talvez uma única crítica na construção da fragrância é o protagonismo do ishpink, pois sua nuance de canela acaba não ficando tão evidente dentro de uma composição complexa e intensa. Ainda sim acaba sendo algo pequeno em um perfume que ousa homenagear no segmento nacional e de massa a perfumaria clássica francesa e o floral narcótico e marcante do ylang. Compare Essencial Supreme com outros lançamentos femininos nacionais e fica evidente o quanto ele se destaca e difere do que tem sido feito, o que é uma grande ousadia e risco da marca. Vejo aqui um perfume sofisticado e de qualidade sendo oferecido por um excelente preço e que vale a pena ser conhecido.