21 de jan. de 2020

Natura Essencial Supreme Masculino - Avaliação/Resenha/Review



Não é de hoje que a estratégia da Natura é pautada pela originalidade e exploração sustentável da biodiversidade brasileira, uma associação até mesmo que inconsciente. Porém desde 2019 isso se tornou um direção ainda mais intensa na perfumaria da Natura, que passou a ressaltar e centralizar a cada lançamento matérias-primas da diversidade brasileira. Isso aliado também a narrativa de que a empresa investe em suas criações na novidade e não na inspiração do que já existe no mercado.

Quando você faz a análise do Essencial Supreme Masculino a princípio isso está bem condizente com o que a empresa deseja. Temos aqui uma preocupação extra em educar o consumidor em todo o processo de construção da criação - enfatiza-se os protagonistas olfativos (no caso do masculino, a canela ishpink e o patchouli), os perfumistas que trabalharam nas fragrâncias e o conceito de unir a sensualidade e calor brasileiro com a experiência e sofisticação clássica da perfumaria francesa. A princípio todos os elementos do discurso convergem para algo que faz sentido, o maior problema é que o perfume na pele conta outra história.

De fato Essencial Supreme é um perfume intenso, sensual e muito redondo, porém ele não é condizente com o que seu discurso vende. É uma grande ousadia da Natura para não dizer cara de pau mesmo que a marca aqui tenha basicamento feito um filho bastardo do Malbec, fazendo uma alusão não explícita a concorrente.

Na pele Essencial Supreme oscila entre momentos onde remete imediatamente aos acordes clássicos do Malbec ao mesmo tempo que remete a outros perfumes do portfolio de fragrâncias da Natura - isso pois a marca tem usado o patchouli e o sintético cashmeran em várias de suas fragrâncias para criar uma base quente, macia e até mesmo levemente mineral/úmida. Supreme me parece basicamente pegar os mesmos elementos do Homem Verum, recalibrar tais elementos e acrescentar especiarias frescas e especiarias mais quentes e um lado mais ambarado e com aspecto de musgo. A citação só não fica completa ao Malbec pois falta-lhe o aspecto frutal mais ácido.

Se há um encontro nesse perfume é o do clássico da Boticário na saída e corpo com um sucesso contemporâneo de vendas da Natura no corpo e fundo. Essencial Supreme Masculino disfarça suas reais intenções com uma narrativa que não convence, principalmente pois ele vem depois de vários perfumes da marca que realmente soam autênticos. Basicamente uma boa fragrância num conceito errado.