28 de jan. de 2020

Roja Dove Vetiver Pour Homme Parfum - Avaliação/Resenha/Review


Quem conhece Roja Dove apenas pelas suas criações atuais ou pela sua marca perde um elemento importante que ajuda a entender a dinâmica de seus perfumes mais clássicos e sofisticados. A carreira de perfumaria de Roja Dove começou com a sua fascinação pela Guerlain e sua insistência e entusiasmo pela perfumaria o levou a trabalhar por mais de 20 anos para a marca. A sua experiência e amor pela Guerlain se reflete indiretamente em muitos de seus perfumes, homenageando e até mesmo recuperando o status de luxo de algumas criações que a própria Guerlain perdeu a oportunidade de honrar.

Um desses perfumes que pega a essência de um perfume da Guerlain e o coloca em um pedestal de luxo é o Vetiver Pour Homme Parfum. Criado em 2012 num dos primeiros momentos de expansão da Roja Dove, Vetiver Pour Homme foi feito para ser a versão definitiva do que Roja enxerga como o perfume de um homem, inspirado pela memória olfativa do aroma da pele de um ente amado. E nesse caso, o ente amado e o seu ideal de perfume masculino está intrinsecamente associado ao Guerlain Vetiver Pour Homme.

Vetiver Pour Homme da Guerlain foi um dos primeiros perfumes a dar protagonismo ao Vetiver, claramente inspirado pelo sucesso de Vetiver Carven. O problema é que com os anos seu cheiro mais amadeirado, cítrico e bruto deixou de ser algo fácil de vender comercialmente e passou a ser um dos mais difíceis de vender da marca, sendo reformulado ao longo dos anos para se torna mais comercial e até mesmo mais simples. Roja Dove propõe um caminho alternativo a isso e exalta a ideia original do perfume em uma concentração mais luxuosa e extravagante, o extrato.

Talvez hoje isso não seja mais ousado mas para 2012 um extrato feito para o público masculino era algo arriscado, raro e interessante. E Vetiver Pour Homme segue a ideia do que deve ser um extrato clássico, que não é meramente um aumento de concentração para fazer o perfume fixar mais, e sim uma exaltação do que há de melhor na fórmula e sinfonia do perfume para que ele seja sua melhor versão possível.

Quem conhece apenas perfumes comerciais de Vetiver talvez estranhe a sinfonia aqui, mas para os apreciadores da nota e de perfumes clássicos esse é um banquete olfativo. Há um grande equilíbrio e harmonia entre as nuances cítricas do vetiver, seu aroma amadeirado, seu aspecto mais úmido, seu lado mais verde. Uma riqueza de cítricos dá uma saída refrescante e ao mesmo tempo mais adulta ao passo que toques florais discretos e um lado sutilmente ambarado acrescentam profundidade e arredondam os aspectos mais agressivos e dificeis do vetiver.

A presença de sândalo amyris, cedro e gaiac ajudam a criar a complexidade de um perfume francês clássico, modelando a temática principal do vetiver na perspectiva amadeirada mas sem roubar a cena. Esse é um luxo olfativo que a Guerlain não se deu conta que poderia explorar em uma criação premium mas que Roja Dove soube muito bem capitalizar dentro de sua marca, criando o que é hoje um dos melhores vetivers existente no mercado.