17 de jan. de 2020

Tom Ford Lost Cherry - Avaliação/Resenha/Review


Mantendo a ideia do provocativo e, para alguns, vulgar, Lost Cherry brinca com o duplo sentido que Cherry tem em inglês, referindo-se às partes íntimas da mulher. Percebe-se que isso é intencional, pois seu conceito explora ideia de uma jornada ao proibido, a uma dicotomia entre o carnal/erótico e o brilho gourmand, entre a inocência e a indulgência. Resumindo, Lost Cherry é conceitualmente um ode à transformação da mulher de menina/adolescente a um ser carnal e sexual. Assim como Fucking Fabulous e Vanille Fatale, o conceito é exagerado e se você vai por ele você se decepciona.

Na minha opinião há um erro de significado em Lost Cherry, ou talvez um problema de leitura do que ele quer dizer. Da forma como conceito, frasco e nome são propostos você espera um perfume ousado, um aroma adocicado e licoroso de cerejas que permaneça do começo ao fim. Mas o fato é que Lost Cherry não é isso e seu conceito na minha opinião está mais para uma cerejeira do que para a cereja em si, o que faz mais sentido quando se pensa no que ele deseja fazer, que é representar a transformação da mulher. Os frutos servem para evidenciar a fecundidade feminina e as flores trazem o ar misterioso e sensual. No caso da cerejeira, é interessante pois a flor de cerejeira ao representar a primavera trás um certo conceito de inocência e transformação que cai feito uma luva aqui.

Lost Cherry começa como seria esperado, com um aroma bem suculento de cerejas, um cheiro doce, frutado e amendoado, trazendo o aspecto meio amargo que liga às cerejas as amêndoas. Em vez do perfume permanecer assim ele retém determinados aspectos da cereja e o leva em uma direção mais floral, trabalhando um jasmim que trás um colorido floral branco que te faz pensar em flor de cerejeira. É interessante que em meio às flores há um aroma meio amargo e frutado que você só percebe na cereja in natura, que se perde quando você a coloca no licor. Na base o perfume vai em uma direção mais amadeirada mas ao mesmo tempo há uma finalização com uma baunilha mais negra e quente que trás um charme extra ao perfume.

Lost Cherry completa uma trilogia implícita carnal-sexual que Tom Ford construiu entre o final do ano passado e esse ano com Fucking Fabulous, Vanille Fatale e por fim Lost Cherry. Os três exploram um eixo olfativo entre baunilha, coumarina e amêndoas/cerejas, dando diferentes facetas a esse tripé e inclusive criando um contexto que convida ao layering dessas fragrâncias. Eu diria que dos 3 Lost Cherry é o mais feminino de todos, mas que com Fucking Fabulous ele deve ficar interessante para o público masculino. Não é um perfume literal e na minha opinião é um perfume que decepciona na fita olfativa. Ele só faz sentido quando se pensa no conceito e na percepção do que a cereja realmente significa.